Salvaguarda da Viola de Buriti será debatida durante Encontro de Violeiros no Jalapão (TO)

Voltar
  • Comunidade Mumbuca | Mateiros - TO

    11/09/2019 até 15/09/2019 - 08h00 às 23h00

    Endereço: Zona rural a 32 km da sede do município - Parque Estadual do Jalapão (TO)

    Email: iphan-to@iphan.gov.br

    Site: portal.iphan.gov.br/to

    Inscrição: Gratuito

    Viola de Buriti

    Programação inclui ações de educação patrimonial, atividades culturais e esportivas realizadas durante XI Festa da Colheita do Capim Dourado, no Parque Estadual do Jalapão
     

    Atividades escolares, rodas de conversa e debates sobre o quilombo Mumbuca vão movimentar o Parque Estadual do Jalapão, no município de Mateiros, região leste de Tocantins (TO). A programação, com início no Dia do Cerrado, 11 de setembro, faz parte dos festejos da 11ª edição da Festa da Colheita do Capim Dourado. Durante o evento, neste ano, também será realizado o I Encontro de Violeiros para a Salvaguarda da Viola de Buriti, organizado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artísitico Nacional (Iphan) com o apoio da Associação Tocantinense de Municípios (ATM) e Governo do Estado do Tocantins.

    O Encontro de Violeiros reunirá, além de pesquisadores, foliões, artistas populares, tocadores, artesãos, violeiros, cantores e músicos. “Nossa intenção é propiciar o intercâmbio de saberes, discutir ações para a salvaguarda e fortalecer esse bem cultural tipicamente tocantinense que ainda não está protegido”, conta o Superintendente do Iphan no Tocantins (Iphan-TO), Marcos Zimmermann.

    Mais de 30 pessoas, ligadas ao universo da Viola de Buriti, participarão dos debates, nos dias 13 e 14. Entre elas, 15 são detentores, identificados em um estudo prévio sobre as práticas e a feitura da viola. O levantamento foi realizado em parceria com a Universidade Federal do Tocantins (UFT). “O estudo revelou uma necessidade da devolutiva da pesquisa realizada, além de um conhecimento sobre o alcance do registro e da salvaguarda, uma vez que há o pedido de registro solicitado pela comunidade quilombola Mumbuca”, explica a chefe de Divisão Técnica do Iphan-TO, Cejane Pacini.