Ação de salvaguarda da Capoeira é destaque na Serra da Barriga

Vista Panorâmica da paisagem da Serra da Barriga (AL)

O Dia da Consciência Negra foi celebrado, nesta quarta-feira, dia 20 de novembro, na Serra da Barriga, em União dos Palmares (AL). A cerimônia contou com ação de salvaguarda da Capoeira no estado, promovida pelo Instituto do Patrimônio e Artístico Nacional em Alagoas (Iphan-AL), com o objetivo de orientar os detentores do bem cultural sobre a política de salvaguarda e para o cadastramento na plataforma nacional.

“Tivemos momentos significativos de representatividade com os mestres antigos que participaram do evento. A ação foi um momento importante de aproximação com os capoeiristas, no qual foi possível divulgar as políticas de salvaguarda da capoeira e o cadastramento de 40 capoeiristas na plataforma nacional, entres eles contramestres e professores”, diz o consultor de Patrimônio Imaterial, Clair Junior.

Ação de salvaguarda da Capoeira celebra Dia da Consciência Negra na Serra da Barriga, em AlagoasA iniciativa é resultado da articulação entre os mestres, capoeiristas, pesquisadores e o Iphan, por meio de reuniões do Grupo de Trabalho da Salvaguarda da Capoeira, com o objetivo de identificar os grupos e praticantes que mantêm a manifestação afro-brasileira. O mapeamento visa fornecer dados e informações sobre a quantidade e distribuição espacial da Capoeira em Alagoas.

A primeira etapa da salvaguarda da Capoeira em Alagoas teve início no mês de agosto de 2019 e deve ser concluída até o fim do ano. Até lá, o Grupo de Trabalho coordenado pelos próprios capoeiristas tem promovido encontros sistemáticos na sede do Iphan-AL.

Ofício de Mestre da Capoeira e da Roda de Capoeira
A Roda de Capoeira é um elemento estruturante de uma manifestação cultural, espacial e temporal, na qual se expressam simultaneamente o canto, o toque dos instrumentos, a dança, os golpes, o jogo, a brincadeira, os símbolos e os rituais de herança africana - notadamente banto - recriados no Brasil. O bem foi registrado pelo Iphan como Patrimônio Cultural do Brasil em 2008.

No mesmo ano, foi reconhecido o Ofício dos Mestres de Capoeira, saber transmitido de modo oral e gestual, de forma participativa e interativa, nas rodas, nas ruas e nas academias, assim como nas relações de sociabilidade e familiaridade construídas entre mestres e aprendizes.

Os registros da Roda de Capoeira e do Ofício dos Mestres de Capoeira têm abrangência nacional. Em 2014, a Roda de Capoeira foi reconhecida pela Organização das Nações Unidas para a Educação a Ciência e a Cultural (Unesco) como Patrimônio Cultural Imaterial da Humanidade.

Compartilhar
Facebook Twitter Email Linkedin