Igreja Matriz Nossa Senhora da Conceição, em Marechal Deodoro (AL), tem restauro iniciado

Igreja Matriz, em Marechal Deodoro (AL)

Com investimentos de R$ 1,8 milhão, obra contempla recuperação da estrutura e dos elementos artísticos integrados do monumento

 

Templo da padroeira do município de Marechal Deodoro (AL), a Igreja Matriz Nossa Senhora da Conceição teve o seu restauro iniciado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan). Com recursos de R$ 1,8 milhão, a intervenção tem como objetivo recuperar a estrutura e elementos artísticos e integrados do monumento, que faz parte do conjunto urbano de Marechal Deodoro tombado como Patrimônio Cultural Brasileiro. 

Com projeto da Prefeitura do município e execução do Iphan, a obra contempla ações para a correção de problemas estruturais da cobertura, do piso e dos banheiros, com implantação de recursos de acessibilidade. Também serão restaurados elementos artísticos integrados à arquitetura, como altares e detalhes em madeira do púlpito. A intervenção inclui ainda serviços de instalações elétricas, hidráulica, telefônica e lógica.

Também em Marechal Deodoro, foi assinado o termo de compromisso para o início das obras de restauração da Igreja Nossa Senhora do Rosário, templo religioso construído no século XIX. A obra reúne investimentos de R$ 1,6 milhão do Governo Federal e promoverá o restauro total da edificação. 

Marechal Deodoro
O conjunto arquitetônico e urbanístico de Marechal Deodoro foi tombado pelo Iphan em 2009. A área definida para proteção envolve três locais descontinuados - o Centro, a área do Carmo e a área de Taperaguá - todos com elementos de interesse, devido à sua importância histórica e relevância paisagística. 

Nesse patrimônio, destacam-se os aspectos originais dos edifícios e, principalmente, o Convento Franciscano de Santa Maria Madalena, datado de 1659. Marechal Deodoro sediou a primeira capital de Alagoas, além de ser a cidade natal do proclamador da República, o Marechal Deodoro da Fonseca, que deu nome à localidade.

A cidade possui dois importantes registros para a história do urbanismo no Brasil: a praça de origem da vila com a forma original do período de 1611 a 1636 e os remanescentes de ajustamento topográfico da arquitetura às variações de níveis dos leitos das ruas. Várias de suas edificações religiosas se configuram como indicativos socioculturais das atividades que ali se desenvolveram ao longo dos anos, onde o casario e as edificações religiosas retratam a história da economia e das batalhas que ocorreram na região.

Mais informações para a imprensa
Assessoria de Comunicação Iphan

comunicacao@iphan.gov.br
Liana Costa – liana.carmo@iphan.gov.br  
(61) 2024-5523 – (61) 2024-5516  
www.iphan.gov.br
www.facebook.com/IphanGovBr | www.twitter.com/IphanGovBr
www.youtube.com/IphanGovBr

Compartilhar
Facebook Twitter Email Linkedin