Patrimônio Material - AL

Alagoas possui três cidade cujos conjuntos urbanos foram tombados pelo Iphan: Marechal Deodor, Penedo e Piranhas. Outros bens estão distribuídos por seis cidades: a casa de Graciliano Ramos (em Palmeira dos Índios, que desde 1972 abriga um museu e uma biblioteca com o acervo do escritor); os remanescentes da Vila de Porto Calvo (com a Igreja Matriz de Nossa Senhora da Apresentação); e a Serra da Barriga (onde os negros escravizados fundadaram o Quilombo dos Palmares), entre outros bens.

Penedo - A cidade ergue-se sobre um rochedo às margens do rio São Francisco e conserva um patrimônio artístico e cultural de grande valor, tendo sido palco de importantes acontecimentos do Brasil Colonial. Uma das cidades mais antigas do Brasil (1560), foi ocupada pelos holandeses em 1637, aí permanecendo por uma década. O centro histórico, formado por conjuntos de logradouros públicos e edificações, inclui alguns dos mais importantes bens da arquitetura religiosa do Nordeste - o Convento e Igreja Santa Maria dos Anjos e as igrejas de Nossa Sra. da Corrente e de São Gonçalo Garcia.

Piranhas - Este municipio está no último trecho navegável da região do Baixo Rio São Francisco, a partir do qual, em fins do século XIX, foi construída uma estrada de ferro para permitir o escoamento mais rápido da produção econômica do Médio e do Alto Rio São Francisco. O acervo arquitetônico da cidade remonta ao período colonial, mas com maior número de edificações do século XIX e início do século XX.

Marechal Deodoro - Terra de nascimento do primeiro Presidente da República, Marechal Deodoro da Fonseca, originalmente conhecida como Santa Maria Madalena da Alagoa do Sul, mais tarde simplificado para Vila das Alagoas. Fundada em 1611, na parte central da região das Alagoas, tornou-se próspera pela produção de açúcar. O isolamento ajudou a manter um conjunto urbano típico até o início do século XIX, com casario de pequenas dimensões e rico trabalho de caixilharia, além de um conjunto de oito importantes igrejas com elementos dos estilos barroco, rococó e neoclássico. 

 

Compartilhar
Facebook Twitter Email Linkedin