retornar

Convento de São Boaventura: ruínas (Itaboraí, RJ)



Descrição:As histórias do convento de São Boaventura de Macacu e da Vila de Santo Antônio de Sá praticamente caminharam juntas. A vila teve início com uma concessão de sesmarias em 1567, em terras banhadas pelos rios Macacu e Cassarebu, onde formou-se um povoado. Em 1612, época do início da então freguesia de Santo Antônio de Macacu ou Casserebu, foi fundada uma capela em homenagem a Santo Antônio. Com o crescimento da população houve a recomendação de se construir um convento no local, que vem a ser justamente o de São Boaventura. A freguesia tornou-se vila em 1697, recebendo o nome de Vila de Santo Antônio de Sá, em homenagem a Arthur de Sá Menezes que foi pessoalmente elevar essa freguesia a categoria de vila, a qual passou a atuar como importante entreposto comercial, abrangendo os atuais municípios de Magé, Itaboraí, Sant’Ana de Japuíba e Rio Bonito. A decadência da vila teve início com as chamadas febres de Macacu (cólera e malária) ocorridas em 1828/1829 e 1836 devido à insalubridade do local, resultante da formação de bancos de areia na foz do rio Macacu e das chuvas que, após um período de seca, levaram ao trasbordamento do rio, inutilizando as terras. A criação da estrada de ferro, em 1860, foi mais um golpe que cooperou para a extinção da vila. Freguesias foram se desmembrando de Santo Antônio de Sá, os moradores abandonaram a região, os frades deixaram o convento, até que a vila extingui-se, restando as ruínas da torre da igreja matriz e do convento. Hoje o centro da vila está dentro das terras da Fazenda Macacu (propriedade particular) sendo ocupado por uma plantação de laranjas, por mato e servindo de pasto ao gado. Quanto ao convento, este começou como um recolhimento, em 1649, e em 1650 a comunidade franciscana passou a ocupá-lo, onde permaneceu até 1670, data do término da construção do novo convento que começou a ser edificado em 1660. O noviciado teve início a partir de 1672, funcionando porém com várias interrupções. O convento foi submetido a reformas e em 1704 ficaram prontas sua torre e sua igreja. Em 1710 foi fundada na vila a Ordem Terceira, funcionando em uma capela lateral no corpo da igreja dos frades. Novas obras ocorreram e de 1784 a 1788 houve a reconstrução do convento, quando os terceiros fizeram sua capela separada da igreja conventual. O que resta das ruínas pertence a esse período (século XVIII). Sua decadência culminou também com as febres de Macacu. Os religiosos deixaram o convento e, nos anos seguintes, foi enviado um guardião para lá. O último deixou no Convento de Santo Antônio (RJ), um inventário das alfaias do convento de Macacu, feito em 1841, significando que o abandono deste convento deu-se nessa época. Suas ruínas foram tombadas pelo Instituto Estadual do Patrimônio Cultural (INEPAC) em 1978 e pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN) em 1980.



Endereço: Fazenda Macacu - Itaboraí - RJ

Livro de Belas Artes
Inscrição:540 Data:28-4-1980
     
Livro Histórico
Inscrição:476 Data:28-4-1980
     
 

Nº Processo:0690-T-63