Iphan lança livro Patrimônio em Transformação

Evento na UnB celebra 30 anos de Brasília como Patrimônio Cultural da HumanidadeTemas presentes no cotidiano da preservação do Conjunto Urbanístico de Brasília, como os instrumentos de gestão da área tombada, a definição da área de entorno, mobilidade, acessibilidade e velocidade do Eixo Rodoviário, a revitalização da via W3, a preservação do conjunto do antigo HJKO (Museu Vivo da memória Candanga) serviram de inspiração para Patrimônio em Transformação: atualidades e permanências na preservação de bens culturais em Brasília, livro que o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), por meio da Superintendência do Distrito Federal, lançará nesta sexta-feira, dia 19 de março, na Universidade de Brasília (UnB). A publicação é composta por nove textos inéditos, produzidos por historiadores, arquitetos e especialistas que estudam Brasília e trazem reflexões atuais não apenas sobre a sua constituição como objeto patrimonial mas, também, sobre sua preservação e gestão como fenômeno urbano.

O evento, para o qual não é necessária inscrição, tem parceria com a Universidade de Brasília e acontecerá no auditório da Reitoria. Essa iniciativa se insere no âmbito das comemorações dos 80 anos do Iphan, 60 anos do projeto do Plano Piloto de Brasília, 55 anos da UnB e dos 30 anos de Brasília Patrimônio Mundial. Contará com duas mesas-redondas: Olhares sobre a gestão do patrimônio cultural do DF, das 9h às 12h; e Possibilidades de leitura dos espaços da cidade, das 14h30 às 17h30. O público presente poderá se aprofundar nas reflexões do livro. 

Patrimônio em Transformação está dividido em três partes: revisitando o passado; reinterpretando o presente; e olhares sobre a gestão do patrimônio cultural do DF. Os textos são complementares e, com profundidade, debatem acerca de aspectos importantes da cidade. Um artigo de autoria do diretor do Departamento de Patrimônio Material e Fiscalização do Iphan, Andrey Schlee, discute as possibilidades de uso da Esplanada, tendo como mote a recente portaria de regulamentação de uso temporário da Esplanada dos Ministérios – Portaria Iphan nº 184/2016.

Já a gestão da cidade foi a temática escolhida pelo superintendente do Iphan-DF, Carlos Madson Reis. A arquiteta portuguesa Maria Manuel Oliveira realizou pesquisa sobre como a manipulação do chão permitiu que a cidade, na prática, ficasse tão próxima dos planos de Lucio Costa. "São temas pertinentes à cidade. Não são estudos etéreos. São reflexões sobre a vida em Brasília, sobre a urbanidade em Brasília", define Madson.

Um dos destaques da obra é a linguagem acessível, que amplia a compreensão dos assuntos para além do campo acadêmico. A organização da publicação ficou a cargo da coordenadora técnica do Iphan-DF, Sandra Bernardes Ribeiro, e do historiador do Iphan-DF, Thiago Perpétuo. Com mestrado na área de Preservação do Patrimônio Cultural, Perpétuo revisitou o processo de tombamento de Brasília. Seu texto traz uma contribuição historiográfica para futuras interpretações do Conjunto Urbano de Brasília, como artefato patrimonial, ressaltando a importância de uma releitura periódica de como se deu esse processo, para o planejamento de ações preservacionistas futuras.

O livro será distribuído na ocasião do lançamento e estará disponível para download no formato e-book da Superintendência do Iphan-DF na internet. Para o futuro existe o plano de uma nova publicação sobre Brasília, desta vez focada no patrimônio imaterial.

 

Mais informações para a imprensa
Assessoria de Comunicação Iphan
comunicacao@iphan.gov.br
Fernanda Pereira – fernanda.pereira@iphan.gov.br
Michel Toronaga – michel.toronaga@iphan.gov.br
Telefones: (61) 2024-5511- 2024-5513 - 2024-5531
(61) 99381-7543
www.iphan.gov.br
www.facebook.com/IphanGovBr | www.twitter.com/IphanGovBr
www.youtube.com/IphanGovBr

Compartilhar
Facebook Twitter Email Linkedin