Patrimônio Material - DF

Ao se considerar a temporalidade como um primeiro elemento de classificação, o patrimônio cultural do Distrito Federal (DF) pode ser abordado e compreendido segundo três grandes grupos: (1) bens e valores preexistentes à construção de Brasília, correspondendo ao patrimônio que testemunha a presença de grupos humanos desde o período pré-histórico na área ocupada atualmente pelo DF; fazendas antigas; núcleos urbanos, edificações isoladas referenciais para grupos específicos; (2) por bens e valores constituídos e produzidos durante o processo de implantação de Brasília, como os acampamentos pioneiros, as cidades e conjuntos urbanos localizados no entorno do conjunto urbanístico do plano piloto, edificações de porte e uso diferenciados, logradouros, parques e praças, entre outros; e (3) em um terceiro grupo, encontram-se os bens culturais referenciados ao processo de consolidação do DF. 

O Distrito Federal possui um diversificado patrimônio abrangendo diferentes categorias de bens culturais, de natureza material, os de natureza imaterial: bens móveis e integrados, acervos de diversos tipos – documentais, museológicos, entre outros -, as paisagens culturais, o patrimônio arqueológico, paleontológico, ferroviário, entre outros.etc. Parte desse universo encontra-se identificada e/ou reconhecida por meio do Tombamento ou do Registro, entre outras formas de proteção e acautelamento, como os inventários.

Patrimônio Urbanístico e Arquitetônico - A preservação do Conjunto Urbanístico de Brasília, com uma área de 112,25 km2, tombado nos âmbitos distrital e federal e considerado Patrimônio Cultural da Humanidade pela Unesco, envolve dinâmicas de transformação inerentes a uma cidade em desenvolvimento e absorvem boa parte da rotina de trabalho da Superintendência. Estão sob sua responsabilidade, também, bens móveis e imóveis tombados, relacionados às fases de construção e consolidação de Brasília, cujos processos e documentação (inclusive os respectivos inventários) podem ser consultados por pesquisadores e demais interessados, como o inventario do centro histórico de Planaltina, além de documentos sobre monumentos isolados e inventários realizados em várias edificações.

Bens protegidos (tombados): Conjunto Urbanístico de Brasília, Catedral Metropolitana de Brasília, Placa de Ouro oferecida à Rui Barbosa, Catetinho e Coleção Arqueológica João Alfredo Rohr.

Bens com tombamento provisório: Teatro Nacional, Capela Nossa Senhora de Fátima; Casa de Chá; Congresso Nacional, Conjunto Cultural da República, Conjunto Cultural Funarte, Edifício do Touring Club do Brasil, Espaço Lúcio Costa, Espaço Oscar Niemeyer, Memorial dos Povos Indígenas, Memorial JK, Conjunto dos Ministérios e anexos, Museu da Cidade, Conjunto do Palácio da Alvorada (incluindo a capela), Palácio da Justiça, Palácio do Planalto, Palácio Itamaraty e anexos, Palácio Jaburu, Panteão da Liberdade e Democracia, Pombal, Praça dos Três Poderes, Quartel General do Exército e Supremo Tribunal Federal. 

Bens móveis e integrados: Foi realizado o inventário do conjunto da obra de Athos Bulcão em Brasília (IMBMI), conjunto documental editado e disponibilizado para o público.

Compartilhar
Facebook Twitter Email Linkedin