Patrimônio Ferroviário

A Leopoldina Railway pautou sua atuação no estado do Espírito Santo a partir da compra de trechos de linha férrea construídos por empresas privadas e públicas no contexto dos programas estratégicos de viabilização do escoamento da produção cafeeira, em alta no estado no início do século XX. Os diversos trechos construídos vão dar origem a “Linha do Litoral”, estrada de ferro muito significativo no direcionamento socioeconômico do estado e na expansão populacional.

A primeira parte da linha férrea no Espírito Santo está incluída no trecho Campos-Cachoeiro. Esse trecho foi, em parte, executado pela Estrada de Ferro Carangola e adquirido pela Leopoldina Railway em finais do Séc. XIX, tendo sido concluído por essa última.

Em um esforço do governo local para direcionar o escoamento da produção cafeeira para o Porto de Vitória e facilitar o acesso dos imigrantes às áreas a serem povoadas no interior do estado, foi construído o trecho Cachoeiro -Vitória, executado pela empresa pública Estrada de Ferro Sul do Espírito Santo. A ferrovia e as demais construções do sistema ferroviário foram vendidas para a Leopoldina Railway a fim de aliviar as finanças do estado em 1907.

Antes da venda, entretanto, foi executado pela EFSES o primeiro trecho correspondente à ligação entre Vitória e Engenheiro Reeve (atual Matilde). As demais estações e o prolongamento da linha até Cachoeiro foram construídos pela Leopoldina, tendo sido exigido, como condicionante para a venda, a conclusão do trecho e a execução da ligação com o estado de Minas Gerais. A empresa, apesar de modificar o traçado original, atendeu à exigência efetuando a ligação entre Cachoeiro e Espera Feliz, ramal atualmente erradicado.

Estações valoradas pelo Iphan:

Estação Domingos Martins

Estação de Vitória (Argolas)

Estação Ferroviária de Matilde
 

Compartilhar
Facebook Twitter Email Linkedin