O Iphan no Maranhão

Desde 1976, o Iphan possui sede no Estado do Maranhão, onde funcionou como 3ª Diretoria Regional até 1990, com jurisdição também sobre os Estados do Piauí e Ceará. A partir deste ano, transformou-se na 3ª Coordenação Regional, com jurisdição exclusiva no Estado do Maranhão. A sede do Iphan funciona, desde 1988, no Sobrado da Baronesa de Anajatuba, localizado no centro histórico de São Luís, a capital do Estado.

Tombado pelo Iphan, em 1974, e reconhecido como Patrimônio Mundial em dezembro de 1997, o centro histórico de São Luís está localizado na ilha de São Luís do Maranhão, na Baía de São Marcos. A cidade de Alcântara é Patrimônio Cultural Nacional, e os municípios de Caxias, Viana, Carolina e Rosário têm tombamento estadual. Cidades como Guimarães, Itapecuru-Mirim, Codó e Pindaré-Mirim também possuem significativos bens culturais.

No Estado, além dos conjuntos arquitetônicos e paisagísticos de São Luís e de Alcântara, estão protegidos pelo Iphan inúmeras edificações, ruínas e sítios arqueológicos. O Maranhão foi o quarto Estado que mais recebeu escravos africanos para o trabalho nas lavouras de arroz, açúcar e, principalmente, algodão. Essas atividades econômicas geraram enorme acúmulo de riquezas e resultaram na construção de núcleos urbanos sofisticados, como São Luís, que, na primeira metade do século XIX, era considerada a quarta cidade mais importante do império brasileiro, ao lado de Rio de Janeiro, Recife e Salvador.

Compartilhar
Facebook Twitter Email Linkedin