Carimbó

O Carimbó foi inscrito no Livro de Registro das Formas de Expressão, pelo Iphan, em setembro de 2014 e recebeu o título de Patrimônio Cultural Imaterial do Brasil. Entre 2008 e 2013, ocorreu a pesquisa referente ao Levantamento Preliminar e Identificação do Carimbó nas Mesorregiões Nordeste Paraense, Metropolitana de Belém e Marajó. Este trabalho integra o processo de registro e teve a participação da população dos municípios que compõem essas mesorregiões, e o envolvimento da população foi fundamental para indicar e fornecer informações sobre as referências culturais mais significativas e representativas desse bem imaterial.

Há mais de dois séculos, o Carimbó mantém sua tradição em quase todas as regiões do Pará, e tem se reinventado constantemente. Seus instrumentos, sua dança e música são resultados da fusão das influências culturais indígena, negra e ibérica; e a memória coletiva dos mestres e seus descendentes tem mantido vivo estes aspectos. Entretanto, a principal característica do Carimbó está nas formas de organização e reprodução sociais em torno dele, no cotidiano de sociabilidade dos carimbozeiros, seja ele relativo ao dia-a-dia do trabalho ou das celebrações religiosas e seculares.

Os pesquisadores visitaram mais de 150 localidades, em 45 municípios, e realizaram 415 entrevistas. O objetivo da pesquisa não era ouvir e identificar todos os grupos de Carimbó do Estado do Pará e, sim, atingir o maior número possível, com o levantamento de informações em campo, por meio de observação e entrevistas. Também foram realizadas dez oficinas de retorno dos resultados nos municípios de Irituia, Vigia, Curuçá, Maracanã, Marapanim, Santarém Novo, Salvaterra, Soure, Cachoeira do Arari e Belém. 

Esse bem imaterial e os outros bens culturais a ele associados incidem em diversas práticas de lazer, religiosidade, manifestações artísticas, festas públicas e familiares, em torno de uma das mais significativas formas de expressão musical paraense. Tal forma de expressão manifesta-se durante todo o ano e sua história remonta ao século XVII, na região da Amazônia que corresponde ao atual Estado do Pará. De acordo com os registros existentes, o Carimbó foi trazido ao Brasil por escravos africanos e incorporou influências indígenas e ibéricas, dando origem a uma manifestação singular, representada por grupos que se espalham por vários municípios.


Documentos

Parecer do DPI
Parecer do Conselho Consultivo
Certidão
Titulação do Carimbó

Leia mais

Cantos e Danças dos Carimbozeiros
Festivais e Festas de São Benedito
Vídeo do Registro
Banco de Dados dos Bens Culturais Registrados
Contatos

Compartilhar
Facebook Twitter Email Linkedin