Edital PNPI 2012 - Mapeamento, Documentação e Apoio ao Patrimônio Cultural Imaterial

O Edital do Programa Nacional do Patrimônio Imaterial (PNPI), de 2012, contemplou 10 projetos para desenvolver ações de Mapeamento, Documentação e Apoio ao Patrimônio Cultural Imaterial.  Neste ano, o Edital selecionou projetos com a seguinte linha: 

  1.     Apoio a manifestações e práticas culturais com proposição de atividades de mapeamento, pesquisa, produção bibliográfica e audiovisual, ações educativas, formação, capacitação, transmissão de saberes, geração de renda, organização de apresentações culturais como forma de valorizar as referências identitárias de grupos e comunidades tradicionais formadores da sociedade brasileira e de contribuir para a promoção de sua sustentabilidade cultural;  
  2.     Apoio a organização e mobilização comunitária, promoção da utilização sustentável dos recursos naturais, entre outras que contribuam para a continuidade da existência de bens culturais e/ou para a gestão participativa e autônoma da preservação de práticas e manifestações culturais tradicionais de grupos formadores da sociedade brasileira, no âmbito do Programa Nacional do Patrimônio Imaterial

 
Os projetos, por força do edital, deveriam atender a um ou mais dos seguintes objetivos: 

  1.     Transmissão de conhecimentos de detentores e/ou produtores de bens culturais de natureza imaterial para as novas gerações;
  2.     Documentação pelos meios técnicos mais apropriados dos saberes, celebrações, formas de expressão e lugares relacionados à história, à memória e à identidade das comunidades em foco;
  3.     Tratamento, disponibilização e/ou exposição ao público dos acervos bibliográficos, audiovisuais, sonoros e outros, relativos aos bens culturais de natureza imaterial identificados;
  4.     Reconhecimento e valorização de detentores de conhecimentos e de formas de expressão tradicionais de caráter imaterial e apoio às condições de produção e reprodução desses bens;
  5.     Organização comunitária e gerencial de produtores e/ou detentores de bens culturais imateriais; e
  6.     Estímulo à formação de pesquisadores e agentes de preservação no seio das comunidades onde os projetos foram desenvolvidos.

 

Inicialmente foram disponibilizados R$ 1 milhão, previstos na Ação Preservação do Patrimônio Cultural, constante na Lei Orçamentária de 2012, sendo aceitos apenas os projetos que solicitaram apoio no valor mínimo de R$ 100 mil e máximo de R$ 105 mil, excluído o valor da contrapartida. Os recursos financeiros disponibilizados totalizaram R$ 1.107.404,63, distribuídos da seguinte forma, podendo participar instituições de todo o País: 

  • R$ 1.034.666,00 em recursos próprios do Iphan; e
  • R$ 72.738,63 em recursos de contrapartida das instituições.  

 

Os projetos foram avaliados tecnicamente por Ivana Medeiros Pacheco Cavalcante, Paulo Moura Peters, Luciana Borges Luz, Diana Dianovsky, Janila Betânia de Oliveira e Rívia Ryker Bandeira de Alencar.

Projetos executados 
1.    No Quinta da Casa de Madeira: Saberes, fazeres e dizeres dos benzedores e benzedeiras do Oeste de Santa Catarina
2.    Jane Ypi – Documentação dos saberes Wajãpi sobre a formação da Terra e da Humanidade 
3.    Patrimônios Vivos da Cultura Caipira em Hortolândia: Mestres Violeiros, Foliões e Catireiros 
4.    Narrativas Orais e Transmissão de Saberes de Povos e Comunidades Tradicionais
5.    O Saber e Fazer das Loiceiras da Chã da Pia 
6.    Sementes da Chapada: o saber dos quilombolas na preservação da agrobiodiversidade 
7.    Artesanato Pankararu: Memória e patrimônio, educação e sustentabilidade 
8.    Dalva 
9.    Documentação Linguística e Cultura Tuyuka: avançando nas políticas linguísticas do noroeste amazônico
10.  Kureko – Centro de Documentação da Cultura Ikpeng

Compartilhar
Facebook Twitter Email Linkedin