Das crises ao turismo cultural, a Colômbia reinventa o ciclo econômico do café

Driblando periódicas crises internacionais, produtores, governo colombiano e comunidades locais encontraram na tradição do café uma saída sustentável ao instituírem a chamada Paisagem Cafeeira Colombiana, circuito histórico-cultural que se baseia na gestão patrimonial como atrativo turístico. Entre as plantações de café e a vista dos Andes colombianos, a Paisagem Cafeeira é um bem reconhecido como Patrimônio Mundial pela Organização das Nações Unidos para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco). Aliando biodiversidade e História, a Colômbia, só em 2018, recebeu 4,2 milhões de visitantes.

Os caminhos da Paisagem Cafeeira Colombiana foram detalhados por César Augusto Angel Valencia, da empresa Nature Trips Colômbia, que palestrou no dia 24 de outubro, segundo dia do Seminário Internacional Patrimônio + Turismo, realizado em Porto Alegre (RS), promovido pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan). Das plantações do século XIX, quando a exportação de café era um dos principais produtos da pauta econômica colombiana, às práticas de patrimonialização contemporâneas, edificações, paisagens e manifestações culturais tornaram-se identidade do povo colombiano. “A variedade de manifestações culturais que se seguiram ao ciclo do café é interessante: gastronomia, tecidos, obras de arte, arquitetura”, explicou César Augusto.

A riqueza produzida pelo café, porém, enfrentava sucessivas crises. Uma região produtora que se comparava, na opinião de César Augusto, ao principado de Mônaco, na Europa. “A região cafeeira de Colômbia era como Mônaco: grandes fazendas e mansões oriundas dos recursos dos produtores que finalmente tinham se tornado exportadores”, comparou o palestrante. “Foram várias crises, como em 1930, mas em 1990, a última década do século passado, foi especialmente difícil.”

O turismo foi uma oportunidade. Uma atividade que teve como base práticas patrimoniais que culminaram na Paisagem Cafeeira Colombiana, bem situado numa larga região, qual estão quatro departamentos, envolvendo 51 municípios. “A Paisagem Cafeeira de Colômbia é uma paisagem viva, dinâmica, em movimento ao redor do cultivo do café que se adapta a características geográficas, naturais e culturais únicas no mundo”, afirmou César Augusto, apresentando ao público imagens das palmeiras gigantes e de casarios seculares que se tornaram hotéis.

Por fim, reconhecida como Patrimônio Mundial pela Unesco em 2011, o bem se tornou fator de atração dos cerca de 4,2 milhões de turistas que visitaram a Colômbia em 2018. Os caminhos do café dependeram das técnicas tradicionais da arquitetura e formas de povoamento, a variedade e originalidade das manifestações culturais e a incomparável riqueza natural e biodiversidade, como destacou o representante da Nature Trips. O aroma de um café de alta qualidade se agregou à riqueza e biodiversidade da paisagem colombiana.

Mais informações para imprensa
Assessoria de Comunicação Iphan
comunicacao@iphan.gov.br
Moisés Sarraf – moises.sarraf@iphan.gov.br
(61) 2024-5526 / 2024-5511 / (91) 98165-4577
www.iphan.gov.br
www.facebook.com/IphanGovBr
www.twitter.com/IphanGovBr
www.youtube.com/IphanGovBr

Compartilhar
Facebook Twitter Email Linkedin