O Iphan na Paraíba

A atuação do Iphan na Paraíba data de 1938, com os primeiros tombamentos de edificações da arquitetura religiosa e militar, como a Fortaleza de Santa Catarina, em Cabedelo, e a Atalaia do Forte Velho, em Santa Rita, ambas do século XVI; os conventos franciscano e carmelita de João Pessoa; a Capela Nossa Senhora da Guia, em Lucena. A Superintendência do Iphan na Paraíba é de 2004. Mas já foi a 20ª Superintendência Regional, e esteve vinculada também à 5ª Regional.

A Paraíba possui bens tombados em nove municípios: Areia, Aparecida, Cabedelo, Cruz do Espírito Santo, João Pessoa, Ingá, Lucena, Pilar e Santa Rita. Nos últimos anos, o Iphan tem realizado ações sistemáticas de conservação e restauração desses conjuntos. Também foram tombadas como Patrimônio Nacional as cidades de João Pessoa, a capital do Estado, em 2009 e Areia, em 2005.

No patrimônio edificado destaca-se também o conjunto de casa, capela e sobrado da Fazenda Acauã, construído no século XVIII em Aparecida, no sertão. Trata-se de referência importante da ocupação do interior e registro singular da arquitetura rural das primeiras fazendas de gado. Pertenceu à família Suassuna e é o lugar onde o escritor Ariano Suassuna passou parte da infância e ao qual se referiu em sua obra como Reino Encantado.

Compartilhar
Facebook Twitter Email Linkedin