Capoeira pernambucana perde um dos grandes Mestres da Capoeira Angola, Mestre Sapo.

Mestre Sapo, precursor da Capoeira Angola em Pernambuco.Um dos maiores mestres de Capoeira em Pernambuco, precursor da Capoeira Angola no Estado, Mestre Sapo, faleceu na noite desta quinta-feira, 28 de fevereiro de 2018 em sua academia, na cidade de Olinda. Humberto Ferreira de Mendonça tinha 60 anos e começou a praticar Capoeira com apenas 12 anos, por volta de 1970.

Foi iniciado na Capoeira de rua, quando conviveu com Mestres como Marcos Coca-Cola, Zumbi Bahia, Pelé e chegou a frequentar a Roda de Capoeira da Praça do Diário, uma das rodas mais famosas e importantes da história da Capoeira de Pernambuco. Foi nessas rodas que Mestre Sapo entrou em contato com a Capoeira Angola, através do Mestre Cobra Mansa – até então, Sapo só havia praticado a Capoeira Regional que, em sua opinião, se caracterizava por ter “mais pernadas movimentos acrobáticos e empolgava mais”.

Durante sua participação em um evento na cidade do Rio de Janeiro, mais uma vez foi inspirado pela Capoeira Angola, através dos mestres Cobrinha, João Grande e Moraes. Nas suas impressões, comparando as duas modalidades, a Capoeira Angola “tinha umas perguntas e respostas dentro, tá entendendo? Existia um diálogo ali dentro daquele jogo, né? Num é coisa de força, de ignorância de oportunismo. Era uma coisa de inteligência, jogar com a mente, né? Não jogar com as pernas e braços não”. 
Finalmente, no começo da década de 1980, já considerado Mestre na Capoeira Regional, mudou-se para Salvador, onde entrou em contato com Mestre João Pequeno, que se tornou seu primeiro Mestre de Capoeira Angola. Por volta de 1988, viajou para a Europa, onde ensinou tanto a Capoeira Regional como a Angola. De volta ao Brasil, em 2008, recebeu formalmente das mãos do Mestre Cobrinha, o título de Mestre de Capoeira Angola. Sobre seu encanto com a Capoeira Angola, Mestre Sapo dizia: “foi onde eu vi que pra você mostrar que é uma pessoa inteligente, objetiva, não precisa de força, só a técnica e isso me pegou, né? (...) eu num me arrependo, só queria ter conhecido a Capoeira Angola antes (...) porque hoje minha visão de Capoeira é totalmente diferente da visão que eu tinha quando fazia Capoeira Regional”.
Mestre Sapo matinha uma Academia de Capoeira no Centro Histórico de Olinda, onde havia fundado, desde dezembro do ano passado, o Museu Independente da Capoeira Angola em Pernambuco (Micape).
A Superintendência do IPHAN em Pernambuco destaca a importância da atuação de Mestre Sapo para a Capoeira de Pernambuco e espera que a sua memória fortaleça o compromisso, entre o poder público e a comunidade de capoeiristas, com a Capoeira como Patrimônio Cultural Brasileiro.  

Fonte: Inventário da Capoeira em Pernambuco (IPHAN, 2010)

Compartilhar
Facebook Twitter Email Linkedin