Patrimônio Mundial - PE

Entre o patrimônio cultural tombado, pelo Iphan, no Estado de Pernambuco está o centro histórico de Olinda, o arquipélago de Fernando de Noronha, e uma das mais representativas formas de expressão do Estado, o Frevo. Este patrimônio foi reconhecido pela Unesco como Patrimônio Mundial, em suas categorias especificas: material, natural e imaterial.

Olinda - Tombada pelo Iphan, é considerada cidade histórica desde 1968, é uma das mais antigas cidade do Brasil e segundo bem nacional declarado Patrimônio da Humanidade pela Unesco, após Ouro Preto. Vizinho a Recife, capital de Pernambuco, o centro histórico de Olinda abrange uma área de 1,2 km2 e 1.500 imóveis, com diferentes estilos arquitetônicos: edifícios coloniais do século XVI harmonizam-se às fachadas de azulejos dos séculos XVIII e XIX e às obras neoclássicas e ecléticas do início do século XX. O traçado urbano é característico dos povoados portugueses de origem medieval e, ainda hoje a ocupação em Olinda configura-se como uma pequena vila, com igrejas no topo dos montes, grandes sobrados e um conjunto de casas com quintais arborizados.

Fernando de Noronha - O arquipélago de Fernando de Noronha foi reconhecido pela Unesco como Patrimônio Mundial Natural, em 2001. É formado pelo topo das montanhas de uma cordilheira vulcânica e tem sua base a cerca de 4 mil metros de profundidade. Ocupa área de aproximadamente 26 quilômetros quadrados, com 21 ilhas, rochedos e ilhotas. Em 1737, por determinação dos portugueses, a Capitania de Pernambuco dominou a ilha, iniciando sua colonização e a construção de diversas fortificações. Com o conflito político da década de 1930, o governo federal requisitou o arquipélago para a implantação de presídio político, transformando-se depois em base avançada de guerra. Permaneceu sob o domínio militar até 1987 e foi devolvido ao governo de Pernambuco, constituindo região geoeconômica, social e cultural do Estado. 

Frevo - Inscrito em 1007, pelo Iphan, no Livro de Registro das Formas de Expressão, em 2012, foi reconhecido como  Patrimônio Cultural Imaterial Mundial, pela Unesco. Surgiu no final do século XIX, no Carnaval, e é uma forma de expressão musical, coreográfica e poética enraizada nas cidades de Recife e Olinda, no Estado de Pernambuco. Manifestação artística da cultura pernambucana desempenha importante papel na formação da música brasileira, sendo uma das suas raízes. O Frevo é composto por variados estilos musicais: frevo de rua, frevo de bloco e frevo-canção. A dança é um jogo de braços e de pernas atribuído à ginga dos capoeiristas, que assumiam a defesa de bandas e blocos, ao mesmo tempo em que criavam a coreografia.

Compartilhar
Facebook Twitter Email Linkedin