Patrimônio Material - PI

Os bens tombados pelo Iphan em Oeiras, a primeira capital do Piauí, e também a Igreja Matriz de Nossa Senhora do Carmo, em Piracuruca foram, durante muito tempo, o único patrimônio histórico do Estado. Capital da província do Piauí, de 1758 até a 1852, a então Vila da Mocha, conhecida assim porque cresceu às margens do riacho Mocha, e ao redor da Matriz de Nossa Senhora da Vitória, construída em 1733. Esta igreja e a Ponte Grande, construída sobre o rio Mocha, em 1846, tombadas pelo Iphan, são as primeiras erguidas na região. O Sobrado Nepomuceno, atual Museu de Arte Sacra, tombado pelo Iphan em 1937, foi a residência da família do construtor, Nepomuceno de Castelo Branco, ou dos Burlamarqui. Posteriormente, ali funcionou a Câmara, depois o Tribunal do Júri e, mais tarde, o Grupo Escolar Costa Alvarenga e, finalmente, a sede do Bispado.   

O conjunto histórico e paisagístico de Parnaíba - tombado pelo Iphan, em 2011 - contém cerca de 830 imóveis divididos em cinco setores: Porto das Barcas, Praça da Graça, Praça Santo Antônio, Estação Ferroviária e Avenida Getúlio Vargas. As igrejas são exemplares únicos do período setecentistas no Piauí, como a de Nossa Sra. do Rosário e a Matriz de Nossa Sra. Mãe da Divina Graça. A etnia Tremembé, de índios guerreiros e nadadores, dominava toda região e lutou durante muitos anos pela posse da terra.

A área sofreu intensa ação dos jesuítas a partir de 1607. Parnaíba surgiu da fusão de dois núcleos: Testa Branca e Porto das Barcas. No século XIX, Parnaíba transformou-se em um grande empório comercial. Como expressão de um novo tempo a arquitetura da cidade inspirou-se nos chalés ingleses, nos bangalôs, e nas casas de porão. O porto facilitou o intercâmbio com os produtos europeus e a cidade tornou-se um centro de difusão de cultura, concentrando uma elite intelectual.

A cidade de Piracuruca, situada a 196 km da capital Teresina, localiza-se em um importante cenário arqueológico. Catalogados pelo Iphan são mais de 40 sítios com vestígios da pré-história da América Latina. No municipio, em uma área de 6.221 hectares, está o Parque Nacional Sete Cidades, criado pelo Decreto no. 50.744, de 8 de junho de 1961, durante o governo do então presidente da República, Juscelino Kubitscheck.

Monumentos rochosos  destacam-se em Sete Cidades, onde os processos erosivos ocorrem há mais de 190 milhões de anos. Na chamada Primeira Cidade está a Piscina dos Milagres, formada por uma das 22 nascentes da área, que nunca deixou de jorrar, mesmo durante os anos mais difíceis de seca, e o Salão do Pajé, com inscrições rupestres. Durante a Balaiada, revolta popular do Maranhão, Piracuruca chegou a abrigar, algumas vezes, o líder da revolta, Raimundo Gomes, e Antônio José de Lima Pedregulho, seu braço direito.

Compartilhar
Facebook Twitter Email Linkedin