Principal » IPHAN » Unidades Especiais » Centro Cultural Sítio Roberto Burle Marx
- A +

Centro Cultural Sítio Roberto Burle Marx

História


Sitio Roberto Burle MarxO Sítio Roberto Burle Marx foi doado ao Iphan, em 1985, pelo paisagista Roberto Burle Marx, com a intenção de preservar suas experiências, criar uma escola de paisagismo, botânica e artes em geral e transmitir o seu principal legado: saber fazer jardins.

Em 1949, Burle Marx adquiriu a propriedade em Barra de Guaratiba, juntamente com seu irmão Siegfried. Naquela época, no Sítio de Santo Antônio da Bica, como era chamado, havia uma antiga casa de fazenda e uma pequena capela do século XVII, dedicada a Santo Antônio. Burle Marx restaurou as construções e começou a trazer para o Sítio sua coleção de plantas, iniciada quando ele tinha apenas seis anos. Em 1973, fez de Barra de Guaratiba sua residência fixa, mudando-se de Laranjeiras, bairro próximo ao centro do Rio de Janeiro, onde cresceu.

Um pouco de Burle Marx

Roberto Burle Marx nasceu em 4 de agosto de 1909, em São Paulo. Desde pequeno, já manifestava sua vocação para as artes plásticas, através de desenhos e pinturas. Porém, foi aos 18 anos, em viagem para a Europa, que decidiu se tornar pintor, após visitar uma exposição de Van Gogh. Lá, também conheceu a coleção de plantas brasileiras do Jardim Botânico de Dahlen, em Berlim, que o inspirou, ao voltar para o Brasil, a cirar jardins com plantas brasileiras ao invés de jardins com inspiração europeia. Em 1932, foi convidado por Lúcio Costa a fazer seu primeiro jardim em uma residência em Copacabana. Em 1934, como diretor de Parques e Jardins em Pernambuco, começa a fazer jardins públicos. São mais de dois mil projetos paisagísticos de sua autoria, entre eles, o Parque do Flamengo, o Calçadão de Copacabana, o Itamaraty. Faleceu no próprio sítio, em 4 de junho de 1994 com 84 anos de idade.

Coleção botânica

Numa área de 365 mil m2, foram reunidas uma das mais importantes coleções de plantas tropicais e semitropicais do mundo. Ao lado dos jardins, ao ar livre, esta magnífica coleção apresenta aos visitantes mais de 3.500 espécies de plantas, entre as quais, exemplares únicos das famílias Araceae, Bromeliaceae, Cycadaceae, Heliconiaceae, Marantaceae, Palmae e Velloziaceae. Sua coleção botânica foi considerada patrimônio cultural brasileiro em 1985, e o Sítio foi tombado integralmente, pelo Iphan, em 2000.

Museu-Casa de Burle Marx

Aberto em agosto de 1999, o Museu-Casa exibe objetos de arte e artesanato, “objetos de emoções poéticas”, como os chamava, adquiridos durante toda a sua vida. O acervo possui 3.125 peças, incluindo peças do próprio Roberto, que, além de paisagista, era pintor, desenhista, designer, escultor e cantor. Fazendo parte da sua coleção, estão imagens sacras barrocas em madeira, cerâmicas primitivas pré-columbianas e do Vale do Jequitinhonha (MG), cristais, vidros decorativos, entre outros.

Atividades culturais

Eventualmente, atividades culturais, como concertos musicais, são realizados nas dependências do Sítio, em seus jardins e no ateliê de Burle Marx.

No dia 13 de junho, Dia de Santo Antônio, a comunidade de Guaratiba se reúne para uma procissão religiosa, que se forma no portão de entrada do Sítio e sobe o morro, passando por sua rua principal até a Capela. Ao final da missa, as crianças fazem a coroação de Santo Antônio. Durante o resto do ano, aos domingos, a Capela é também usada pelos habitantes da comunidade, como já faziam seus antepassados há 300 anos.

Visitas guiadas

Durante todo o ano, o Sítio recebe, além do público em geral, escolas, desde o jardim de infância até universidades.

As visitas acontecem de terça a sábado, exceto feriados, nos horários de 9h30 e 13h30. São agendadas por telefone e acompanhadas por monitores. Tem a duração de uma hora e meia a duas horas. O atendimento pode ser individual ou em grupos formados por até 35 pessoas.

Como chegar:

Do Centro e Zona Sul:

- de metrô: pegar ônibus de integração para a Barra da Tijuca (terminal Alvorada), que parte da estação General Osório em Ipanema. Depois pegar a Transoeste, descendo na estação BRT de Ilha de Guaratiba e pegar a linha 874 –um ônibus de integração do sistema BRT ou a linha 867 (Campo Grande – Barra de Guaratiba).

- De ônibus: linhas para a Barra da Tijuca – terminal Alvorada ou Recreio dos Bandeirantes (http://www.rioonibus.com/terminais/terminal-alvorada). Depois pegar a Transoeste, descendo na estação BRT de Ilha de Guaratiba e pegar a linha 874 –um ônibus de integração do sistema BRT ou a linha 867 (Campo Grande – Barra de Guaratiba).

 

Saiba mais: http://sitioburlemarx.blogspot.com.br/

Saiba Mais
Agenda
Bancos de Dados
Bibliotecas do IPHAN
Blogs do IPHAN
Cadastro Nacional de Negociantes de Antiguidades e Obras de Arte
Concurso IPHAN
Editais e Seleções
Legislação
Links Patrimônio Cultural
Notícias
Perguntas Frequentes
Sistema Nacional do
Patrimônio Cultural
Transparência Pública
Redes Sociais