O Iphan no Paraná

A atuação do Iphan no Paraná iniciou-se em 1938 com o tombamento de alguns bens edificados nos municípios de Paranaguá e da Lapa, indicados pelo historiador paranaense David Carneiro. A Superintendência do Iphan no Paraná teve sua origem com a instalação do Escritório Técnico, criado em 1984 e subordinado até 1990 à 9º Coordenação Regional do Iphan, em São Paulo. Em 1991 passou a ser a 10ª Coordenação Regional no estado do Paraná e, posteriormente, Superintendência Estadual do Iphan no Paraná. Desde 1985, a sua sede está instalada em uma casa de madeira em Curitiba, com características da imigração europeia, a qual pode ser considerada um dos mais expressivos exemplares da arquitetura de madeira paranaense. 

No Estado, estão protegidos bens isolados em diversos municípios, além dos conjuntos urbanos de Antonina, Lapa e Paranaguá. É reconhecido também pela UNESCO como Patrimônio Natural da Humanidade o Parque Nacional do Iguaçu e as Reservas da Mata Atlântica na Serra do Mar. A Superintendência realiza inventários e pesquisas, obras de restauração em bens tombados, fiscaliza os sítios arqueológicos e históricos e desenvolve ações de Educação Patrimonial. O Fandango Caiçara está registrado como patrimônio imaterial desde novembro de 2012. Desde 2007, responde pela gestão do patrimônio ferroviário valorado, oriundo da Rede Ferroviária Federal S.A. (RFFSA), cujo inventário e acervo fotográfico está disponível para consulta pública. 

Compartilhar
Facebook Twitter Email Linkedin