Patrimônio Mundial - PR

No extremo Oeste do Estado, localiza-se o Parque Nacional do Iguaçu reconhecido como Patrimônio Natural Mundial pela Unesco, em 1986. O trecho da Mata Atlântica que se inicia na Serra da Juréia, em Iguape (SP), e se estende até à Ilha do Mel, em Paranaguá (PR), foi declarado Reserva da Biosfera (Mata Atlântica: reservas do Sudeste), pela Unesco, em 1991, e Patrimônio Natural Mundial, em 1999. É protegido como parque nacional por sua característica predominantemente paisagística e ecológica: sua grande biodiversidade e o espetacular conjunto das quedas d’água que formam as Cataratas do Iguaçu fazem desse patrimônio um dos locais turísticos mais visitados do País, e referência internacional de gestão de áreas e parques protegidos.
 
Criado no governo do ex-presidente Getúlio Vargas, pelo Decreto-Lei nº 1.035, de 10 de janeiro de 1939, o Parque situa-se a 637 quilômetros de Curitiba, capital do Paraná, na região de tríplice fronteira entre Brasil, Argentina e Paraguai. Ocupa uma área de, aproximadamente, 185 mil hectares em solo brasileiro que, com o Parque Nacional Del Iguazu, em território argentino, somam 260 mil hectares. Assentado sobre o Aquífero Guarani, uma das maiores reservas mundiais de água subterrânea, é considerado uma das últimas reservas florestais da Mata Atlântica e a maior reserva de floresta pluvial subtropical do mundo. 

Essa área tem como objetivo estimular a preservação das florestas primárias e garantir a existência do seu patrimônio étnico e cultural, representado especialmente pelas comunidades indígenas que habitam o entorno da área protegida. Tais comunidades convivem, há séculos, em plena harmonia com o meio ambiente, servindo-se dele sem destruí-lo. Nas proximidades do centro histórico de Iporanga, os habitantes de um quilombo preservam seus usos, costumes e a língua nativa. Além do valor étnico e cultural, a região abriga mais de 50 sítios arqueológicos e a primeira cidade brasileira, São Vicente, fundada por Martim Afonso de Souza, em 1532. 

Assentado sobre o Aquífero Guarani, uma das maiores reservas mundiais de água subterrânea, é considerado uma das últimas reservas florestais da Mata Atlântica e a maior reserva de floresta pluvial subtropical do mundo. A exploração intensiva e desordenada da floresta iniciou-se logo após a chegada dos portugueses e, após 500 anos de exploração, a Mata Atlântica - que se estendia por 17 estados brasileiros e correspondia a aproximadamente 1,3 milhão de quilômetros quadrados ou 15% do território nacional - ficou reduzida a 95 mil quilômetros quadrados, ou seja, 7,3% da área original.Assentado sobre o Aquífero Guarani, uma das maiores reservas mundiais de água subterrânea, é considerado uma das últimas reservas florestais da Mata Atlântica e a maior reserva de floresta pluvial subtropical do mundo. 

Compartilhar
Facebook Twitter Email Linkedin