Publicações

  • Dossiê 2 - Arte Kusiwa – Pintura Corporal e Arte Gráfica Wajãpi

    Autor: DPI/Iphan Edição: 2008 Páginas: 140

    Publicação: Iphan

    A Arte Kusiwa é um sistema de representação gráfica próprio dos povos indígenas Wajãpi, do Amapá, que sintetiza seu modo particular de conhecer, conceber e agir sobre o universo. Como Patrimônio Imaterial, ela foi inscrita no Livro de Registro das Formas de Expressão em 2002.

  • Política de Preservação do Patrimônio Cultural no Brasil - diretrizes, linhas de ação e resultados: 2000/2010

    Autor: Paula Porta Edição: 2012 Páginas: 344

    Publicação: Iphan/Programa Monumenta

    Em busca de configurar uma base de dados consistente para o desenvolvimento das políticas públicas no campo da cultura, o Iphan vem ampliando o leque de suas publicações destinadas à informação de gestores públicos e da sociedade civil, interessados em promover ações fundadas na diversidade, legitimidade, desenvolvimento e preservação. Nesse livro, está o resultado de uma avaliação minuciosa das ações desenvolvidas no campo da preservação cultural durante o período de 2000 a 2010, para oferecer um instrumento útil ao planejamento das políticas públicas do setor e às iniciativas de cunho privado. 

  • Mestres Artífices - Minas Gerais

    Autor: Douglas Ferreira Gadelha Campelo, Guilherme Maciel Araújo, Leonardo Hipólito Genaro Fígoli, Leonardo Barci Castriota e Paulo Henrique Alonso Edição: 2012 Páginas: 160

    Coordenação: Leonardo Barci Castriota
    Publicação: Iphan

    Este trabalho é fruto do inventário realizado pelo Programa Monumenta/Iphan em Minas Gerais e apresenta resultados destinados a especialistas, estudantes e ao público em geral. Ao tratar do repasse de conhecimentos de geração em geração, dos hábitos presentes na vida de inúmeros cidadãos, das particularidades territoriais dispersas pelas regiões brasileiras, nos deparamos com a diversidade e a complexidade de processos que retratam um conjunto de práticas culturais e se constituem em diferentes dimensões do nosso patrimônio cultural, tanto de natureza material, quanto de natureza imaterial. 

     

  • Vol. 2 - Salvemos Ouro Preto: a campanha em benefício de Ouro Preto, 1949-1950

    Autor: Juliana Sorgine Edição: 2008 Páginas: 344

    Colaboração: Lia Motta e Bettina Grieco
    Publicação: Iphan

    A pesquisa apresenta uma das primeiras experiências de inventário sistemático de um sítio urbano protegido como patrimônio cultural, realizado em Ouro Preto (MG), em 1949, e lança luz sobre outra experiência, também inédita: a realização de uma campanha para angariar fundos em prol da recuperação do casario do núcleo urbano, considerado a maior expressão daquilo que ficou reconhecido como símbolo do patrimônio histórico e artístico nacional no período.

  • Adobe e as Arquiteturas

    Autor: Jose Leme Galvão Jr. Edição: 1a. Páginas: 24

     

     

     

  • Patrimônio em Transformação: atualidades e permanências na preservação de bens culturais em Brasília

    Autor: Iphan-DF Edição: 2017 Páginas: 209

    Em 2017, comemoramos 30 anos de reconhecimento de Brasília como patrimônio cultural da humanidade e 60 anos do projeto do arquiteto e urbanista Lucio Costa, momento oportuno para reflexões sobre a gestão de seu patrimônio e as questões relativas ao desenvolvimento urbano, com vistas a subsidiar os debates necessários para encaminhamento de soluções que visem tanto a preservação quanto a melhoria de seus espaços urbanos.

  • Sítio Arqueológico Cais do Valongo no Rio de Janeiro, Brasil

    Autor: Iphan/ Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro Edição: 2016 Páginas: 11

    Publicação: Iphan

    Este documento contém a proposta de inscrição do Sítio Arqueológico Cais do Valongo na Lista do Patrimônio Mundial, encaminhada pelo Iphan e Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro a UNESCO. O Cais do Valongo, situado na região portuária, zona central do Rio de Janeiro, foi um antigo cais de pedra construído no século XIX. Além do cais, durante mais de 50 anos, funcionou nessa área o mercado de escravos da cidade, onde estavam os depósitos e armazéns de escravos, o Cemitério dos Pretos Novos - que recebia os corpos daqueles que não resistiam às duras condições da travessia atlântica -, e o Lazareto da Gamboa, destinado à quarentena dos escravos doentes recém-chegados.

     

  • O Convento Franciscano de Cairu (The Franciscan Monastery of Cairu)

    Autor: José Dirson Argolo Edição: 2009 Páginas: 132

    Publicação: Iphan/Programa Monumenta

    Nesta edição traz o extrato do livro O Convento Franciscano de Cairu - Restauração de Elementos Artísticos (The Franciscan Monastery of Cairu - Restoration of Artistic Elements), com os dois primeiros capítulos que tratam especificamente da história do município de Cairu (situado em uma ilha no sul do Estado da Bahia) e da origem do Convento. Este bem tombado pelo Iphan é considerado um dos mais importantes exemplares da arquitetura religiosa brasileira e, em particular, da arquitetura franciscana. O Convento está implantado no ponto dominante da antiga vila, sendo a referência visual mais marcante de sua passagem. Edição bilíngue (português/inglês).

  • Olinda - Convento de São Francisco

    Autor: Iphan/Programa Monumenta Edição: Edição: 2010 Páginas: 16

    Publicação: Iphan/Programa Monumenta/Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID)

    A série de publicações Rotas do Patrimônio – Uma viagem através da história apresenta roteiros completos com dicas de locais para visitação, lazer, compras e gastronomia nas cidades históricas. Localizado em terreno de topografia acidentada, o Convento de São Francisco dialoga com a paisagem histórica do sítio, tendo como moldura o azul do mar e do céu. O acesso ao local é feito por uma ladeira, ponteada pelo casario que remete a distintos períodos da arquitetura. A construção inicial deu-se com a chegada da ordem franciscana no Brasil, datada de 1585, com projeto de autoria do frei Francisco dos Santos. Uma das obras mais antigas do país, possui um rico acervo de bens móveis integrados, que agregam valor artístico e histórico ao monumento. Edição bilíngue (português/inglês).

  • Inventário dos Terreiros do Distrito Federal e Entorno - 1ª Fase

    Autor: Iphan/Superintendência no Distrito Federal Edição: 2009 Páginas: 156

    Publicação: Iphan

    Entre 2008 e 2009, as superintendências do Iphan no Distrito Federal e em Goiás realizaram a 1ª Etapa do INRC de Lugares de Culto de Matrizes Africanas e Afro-brasileiras no Distrito Federal e Entorno que resultou no levantamento preliminar de terreiros em atividade nessa região, atendendo à demanda dos próprios adeptos das religiões afro-brasileiras. Foram mapeados os principais terreiros e as práticas culturais realizadas nesses espaços, que estão sendo divulgados nesta publicação.

     

     

Registros encontrados: 521

Compartilhar
Facebook Twitter Email Linkedin