Publicações

  • Cachoeira de Iauaretê - Lugar sagrado dos povos indígenas dos rios Uaupés e Papuri

    Autor: DPI/Iphan Edição: 2007 Páginas: 148

    Publicação: Iphan

    A Cachoeira de Iauaretê, ou Cachoeira da Onça, corresponde a um lugar de referência fundamental para os povos indígenas que habitam a região banhada pelos rios Uaupés e Papuri, reunidos em dez comunidades, multiculturais na maioria, compostas pelas etnias de filiação linguística Tukano Oriental, Aruaque e Maku. Sua inscrição no Livro dos Lugares foi realizada em 2006.

  • Jongo no Sudeste

    Autor: DPI/Iphan Edição: 2007 Páginas: 92

    Publicação: Iphan

    O Jongo do Sudeste é uma forma de expressão afro-brasileira que integra percussão de tambores, dança coletiva e práticas de magia. É praticado nos quintais das periferias urbanas e em algumas comunidades rurais do sudeste brasileiro. Foi inscrito no Livro das Formas de Expressão em 2005.

  • Ofício das Baianas de Acarajé

    Autor: DPI/Iphan Edição: 2007 Páginas: 104

    Publicação: Iphan

    Este bem cultural de natureza imaterial, inscrito no Livro dos Saberes em 2005, consiste em uma prática tradicional de produção e venda, em tabuleiro, das chamadas comidas de baiana, feitas com azeite de dendê e ligadas ao culto dos orixás, amplamente disseminadas na cidade de Salvador, Bahia.

  • Modo de Fazer Viola de Cocho

    Autor: DPI/Iphan Edição: 2009 Páginas: 112

    Publicação: Iphan

    A Viola de Cocho é um instrumento musical singular quanto à forma e sonoridade, produzido exclusivamente de forma artesanal, com a utilização de matérias-primas existentes na Região Centro-Oeste do Brasil. Sua produção é realizada por mestres cururueiros, tanto para uso próprio como para atender à demanda do mercado local, constituída por cururueiros e mestres da dança do siriri. O seu modo de fazer foi registrado no Livro dos Saberes, em 2005.

  • Samba de Roda do Recôncavo Baiano

    Autor: DPI/Iphan Edição: 2006 Páginas: 216

    Publicação: Iphan

    É uma expressão musical, coreográfica, poética e festiva das mais importantes e significativas da cultura brasileira. Exerceu influência no samba carioca e até hoje é uma das referências do samba nacional. O Samba de Roda no Recôncavo Baiano foi inscrito do Livro de Registro das Formas de Expressão, em 2004.

  • Círio de Nossa Senhora de Nazaré

    Autor: DPI/Iphan Edição: 2006 Páginas: 101

    Publicação: Iphan

    O Círio de Nossa Senhora de Nazaré é uma celebração religiosa que ocorre em Belém do Pará, inscrita no Livro das Celebrações em 2004. Os festejos, que envolvem vários rituais de devoção religiosa e expressões culturais, e reúnem devotos, turistas e curiosos de todas as partes do Brasil e de países estrangeiros, constituem um momento anual de reencontro e devoção.

  • Arte Kusiwa – Pintura Corporal e Arte Gráfica Wajãpi

    Autor: DPI/Iphan Edição: 2008 Páginas: 140

    Publicação: Iphan

    A Arte Kusiwa é um sistema de representação gráfica próprio dos povos indígenas Wajãpi, do Amapá, que sintetiza seu modo particular de conhecer, conceber e agir sobre o universo. Como Patrimônio Imaterial, ela foi inscrita no Livro de Registro das Formas de Expressão em 2002.

  • Ofício das Paneleiras de Goiabeiras

    Autor: DPI/Iphan Edição: 2006 Páginas: 70

    Publicação: Iphan

    O saber envolvido na fabricação artesanal de panelas de barro foi registrado como Patrimônio Imaterial no Livro dos Saberes em 2002. O processo de produção no bairro Goiabeiras Velha, em Vitória (ES), emprega técnicas tradicionais e matérias-primas provenientes do meio natural. A panela de barro, fruto de um conjunto de saberes, constitui suporte indispensável para o preparo da típica moqueca capixaba.

  • Roda de Capoeira e Ofício dos Mestres de Capoeira

    Autor: DPI/Iphan Edição: 2014 Páginas: 148

    Publicação: Iphan

    O desafio do inventário cultural para registro e salvaguarda da capoeira como Patrimônio Cultural do Brasil, realizado entre 2006 e 2007, era construir um diálogo entre o tempo histórico passado e o tempo presente. Como patrimônio vivo, a capoeira se mantinha no cenário atual por meio dos mestres que representavam o saber e, ao mesmo tempo, acumulava produção documental que atravessava os últimos três séculos. Este trabalho - elaborado por uma equipe multidisciplinar - reconstitui brevemente a história da capoeira e registra seu momento presente, por meio de pesquisa historiográfica e trabalho de campo. As fontes estudadas encontram-se nos maiores acervos de documentos sobre a capoeiragem do Rio de Janeiro e em Salvador. 

  • Modo Artesanal de Fazer Queijo de Minas

    Autor: DPI/Iphan Edição: 2014 Páginas: 140

    Publicação: Iphan

    Fazer e comer queijo são parte do modo de ser mineiro. A produção artesanal de queijos de leite cru é uma atividade tradicional, enraizada no cotidiano de fazendas e sítios de Minas Gerais, e remete ao processo de ocupação desse território, durante os séculos XVII e XVIII. Esta publicação apresenta narrativa que abrange cidade e vilas das microrregiões do Serro, Canastra, Serra do Salitre, Alto Paranaíba, Araxá, serras do sul de Minas, Campo das Vertentes, e retrata a tradição e os modos de fazer de um queijo reconhecido mundialmente. Um vasto repertório de conhecimentos tradicionais que inclui as formas de comercialização e consumo desses queijos artesanais também compõe mais um Dossiê produzido pelo Iphan.

Registros encontrados: 13

Compartilhar
Facebook Twitter Email Linkedin