Publicações

  • Cartilha - Proteção aos conhecimentos dos povos indígenas e das sociedades tradicionais da Amazônia

    Autor: Claudia Leonor López (coord.), Cristina Azevedo e Ana Gita de Oliveira Edição: 2012 - 4a. Edição revista e ampliada Páginas: 25

    Publicação Museu Paraense Emílio Goeldi

    Direcionada às sociedades tradicionais, esta cartilha pretende ser um instrumento de informação, contribuir para melhor compreensão do sistema de proteção aos conhecimentos tradicionais e incentivar práticas sociais justas nas relações entre povos indígenas e comunidades da Amazônia com pesquisadores, entidades públicas, organizações não governamentais (ONGs) e setor empresarial. É uma iniciativa do Projeto Formação de Recursos Humanos e Fortalecimento Institucional como Alternativa de Recomposição do Patrimônio Ambiental e Cultural Amazônico (material e imaterial), patrocinada pelo Fundo de Defesa de Direitos Difusos do Ministério da Justiça (FDD/MJ), com apoio do Iphan. 

  • Cartilha - Aqui se faz queijo

    Autor: Iphan Edição: 2017 Páginas: 20

    Publicação: Superintendência do Iphan em Minas gerais

    A cartilha  Aqui se faz queijo apresenta uma história que trata do modo artesanal de fazer queijo de Minas nas regiões do Serro, Serra da Canastra e da Serra do Salitre/Alto Paranaíba. O patrimônio imaterial é muito diferente das cidades e dos monumentos históricos. Sua importância maior está na transmissão dos saberes e do conhecimento de nossos antepassados. Os produtos desse conhecimento - os queijos produzidos com leite cru em Minas Gerais - são os objetos que nos falam das memórias e tradições que tanto expressam o que é ser mineiro e ser brasileiro, ou seja, um símbolo de que se pertence a algum lugar com o qual nos identificamos. 

  • Gabriel em Brasília • A Cidade com Asas •

    Autor: Elisa Leonel Edição: 2ª Edição Páginas: 119

    "Fiquei imaginando a capital do Brasil com aquele monte de homens de terno e gravata, deputados, ministros, um monte de gente entrando e saindo daqueles prédios importantes. Pra mim, não era uma cidade para se fazer turismo, ver o quê em Brasília?" 

    Gabriel fez um diário de viagem, no qual descreve as percepções de sua primeira visita a Brasília e nos apresenta a capital do Brasil de maneira diferente, destacando a modernidade do plano urbanístico de Lucio Costa, a beleza da arquitetura de Oscar Niemeyer, além de aspectos que despertaram sua atenção. Ele descobre que Brasília é divertida e tem vida própria. Ao seguir a aventura de Gabriel em nossa capital, o jovem leitor se sentirá estimulado a visitá-la, a descobrir seus atrativos, sua gente e a refletir sobre a preservação desse Patrimônio Cultural Brasileiro e da Humanidade

  • Novas (Velhas) Batalhas

    Autor: Gabriela Romeu (organização) Edição: 2019 Páginas: 150

    Este projeto foi desenvolvido no âmbito da candidatura do “Conjunto de Fortificações do Brasil” a Patrimônio Mundial da Unesco, pelo Iphan (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional). A proposta dessa inscrição é simbólica ao apresentar o testemunho material do contato ocorrido entre DIFERENTES POVOS e culturas na ocupação do território. Dessa forma, tais fortificações, erguidas com o objetivo de garantir a posse e a segurança dos novos territórios, formam um conjunto ímpar, frente a outros sistemas fortificados edificados no mesmo período e em outros locais, e exerceram importante papel na ocupação territorial da América do Sul.

  • Memórias do Presente - Patrimônios de Mato Grosso do Sul

    Autor: Iphan Edição: Iphan Páginas: 61

    A publicação reúne o acervo patrimonial sul-mato-grossense. Por meio de textos e ilustrações, a publicação apresenta aspectos históricos de bens culturais do Estado, como o Casario do Porto de Corumbá, o Complexo Ferroviário da Noroeste do Brasil em Campo Grande, as Grutas de Bonito, o Forte de Coimbra e a Viola de Cocho. A obra abrange, também, conceitos de Patrimônio Cultural e esclarece as diferenças entre os processos de tombamento e de registro, informando à comunidade sobre atuação do Iphan.A publicação reúne o acervo patrimonial sul-mato-grossense. Por meio de textos e ilustrações, a publicação apresenta aspectos históricos de bens culturais do Estado, como o Casario do Porto de Corumbá, o Complexo Ferroviário da Noroeste do Brasil em Campo Grande, as Grutas de Bonito, o Forte de Coimbra e a Viola de Cocho. A obra abrange, também, conceitos de Patrimônio Cultural e esclarece as diferenças entre os processos de tombamento e de registro, informando à comunidade sobre atuação do Iphan.

  • O canto das garças me contou

    Autor: Aline Silva Lima e Patrícia Pereira Xavier (organização) Edição: 1a Páginas: 122

    O livro O Canto das Garças me Contou é parte dos esforços do IPHAN em divulgar o patrimônio cultural de um dos municípios cearenses, Acaraú, para os jovens e professores da rede pública. Nele há narrativas contadas pelos moradores locais, retratando muitas histórias e memórias coletadas em entrevistas e rodas de conversa, valorizando a cultura material e imaterial, do sertão ao litoral.

  • O canto das garças me contou: manual do professor

    Autor: Aline Silva Lima e Patrícia Pereira Xavier (organização) Edição: 1a Páginas: 42

    O livro O Canto das Garças me Contou é parte dos esforços do IPHAN em divulgar o patrimônio cultural de um dos municípios cearenses, Acaraú, para os jovens e professores da rede pública. Nele há narrativas contadas pelos moradores locais, retratando muitas histórias e memórias coletadas em entrevistas e rodas de conversa, valorizando a cultura material e imaterial, do sertão ao litoral. No manual do professor, há propostas de atividades para os educadores desenvolverem a interpretação dos textos de forma lúdica, valorizando o patrimônio cultural de ontem e hoje daquela região, ajudando na preservação desse patrimônio para futuras gerações.

Registros encontrados: 47

Compartilhar
Facebook Twitter Email Linkedin