Monte Roraima Fazenda São Marcos Pinturas rupestres Damurida, receita indígena

Superintendência do Iphan em Roraima

A Superintendência do Iphan em Roraima, estabelecida em 2009, originou-se da 1ª Diretoria Regional, criada em 1979. No Estado, estão protegidas a edificação e as ruínas do Forte de São Joaquim do Rio Branco, tombadas pelo Instituto em 2002 e 2010, respectivamente. Nos últimos anos, o Iphan – Roraima tem promovido debates entre pesquisadores, estudantes e profissionais buscando uma melhor percepção sobre o patrimônio cultural e a importância da preservação, incluindo arqueologia, arte e cultura indígena. Entre os sítios arqueológicos conhecidos encontram-se sítios rupestres, oficinas líticas e sítios lito-cerâmicos. A Superintendência realiza ações educativas junto às comunidades, sobre o valor cultural dos vestígios arqueológicos e sua importância para a construção da identidade dos grupos humanos que ocuparam a região. Em função da grande diversidade desses grupos, Roraima detém um importante patrimônio arqueológico com mais de 80 sítios cadastrados, até o momento, onde estão gravuras e pinturas rupestres. 

Contato