Antigo Sistema Defensivo de Santa Catarina recebe R$ 16 milhões em melhorias

Fortaleza de São José da Ponta Grossa

As fortalezas São José da Ponta Grossa, Santo Antônio de Ratones e o Forte Santana do Estreito, integrantes do sistema defensivo da ilha de Santa Catarina, passarão por restauração e requalificação urbana de seu entorno, incluindo acessibilidade, paisagismo e mobiliário urbano, sinalização e expografia.  Os projetos foram contratados e serão executados pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), com um investimento total de cerca de R$ 16 milhões em melhorias. Os recursos são provenientes do Fundo de Defesa dos Direitos Difusos (FDD).

O Sistema Defensivo da Ilha de Santa Catarina

Fortaleza de Santo Antônio de Ratones

O Sistema Defensivo da Ilha de Santa Catarina data do Século XVIII. Localizado estrategicamente, ele foi concebido para defender e proteger os domínios portugueses na América do Sul, uma vez que a região era disputada com a Espanha. Sua construção começou em 1739, sob o comando do engenheiro militar português José da Silva Paes. Entre 1762 e 1763, o Marquês de Pombal determinou a sua expansão, o que originou os fortes de Santana e de São Francisco Xavier. Ambos foram projetados pelo Brigadeiro José da Silva Paes.

Fortaleza São José da Ponta Grossa

A Fortaleza São José da Ponta Grossa está localizada no alto do Morro da Ponta Grossa, a cerca de 25 quilômetros do centro de Florianópolis. Foi projetada e construída por José da Silva Paes, primeiro governador da Capitania de San

ta Catarina. A estrutura foi tombada pelo Iphan em 1938, e passou por restauração entre os anos de 1991 e 1992. A edificação é administrada pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) e receberá quase R$ 7 milhões em recursos do FDD.

Fortaleza Santo Antônio de Ratones

A Fortaleza de Santo Antônio de Ratones está localizada na Ilha de Ratones Grande, na Baía Norte da Ilha de Santa Catarina, em Florianópolis. Sua construção começou em 1740. Ela também foi restaurada na década de 90, no mesmo projeto que recuperou a Fortaleza São José da Ponta Grossa. Inicialmente sob a jurisdição da Marinha do Brasil, a fortaleza hoje é administrada pela UFSC e também receberá cerca de R$ 7 milhões em investimentos.

 

Forte Santana

Forte Santana do Estreito

O Forte Santana do Estreito está localizado na Av. Oswaldo Rodrigues Cabral, sob a Ponte Hercílio Luz, em Florianópolis. Construído em 1763, ele foi  ocupado por construções clandestinas até 1969, quando começou sua restauração. O valor previsto para as atuais melhorias é de R$ 2,3 milhões.

Sobre o FDD

Coordenado pelo Ministério da Justiça e Segurança Pública, o FDD reúne recursos provenientes de condenações judiciais, multas e indenizações para a reparação de danos causados ao meio ambiente, ao consumidor, a bens e direitos de valor artístico, estético, histórico, turístico e paisagístico. Entendidos como reparação à ordem econômica e outros interesses difusos e coletivos, esses valores são, então, destinados a projetos de órgãos públicos e entidades civis, selecionados a partir de decisão do Conselho Federal Gestor do Fundo de Defesa de Direitos Difusos. Em 2019, o Iphan pleiteou a aprovação de diversas ações, tendo sido selecionados, até o momento, 21 projetos, que somam recursos de R$ 91,1 milhões em investimentos para oito estados brasileiros: Alagoas, Amazonas, Bahia, Maranhão, Pará, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul e Santa Catarina.

Mais informações para a imprensa
Assessoria de Comunicação Iphan

comunicacao@iphan.gov.br
Taís Coutinho Arruda – tais.arruda@iphan.gov.br
(61) 2024-5535 / 5504 / 5516
www.iphan.gov.br
www.facebook.com/IphanGovBr | www.twitter.com/IphanGovBr
www.youtube.com/IphanGovBr

Compartilhar
Facebook Twitter Email Linkedin