Ações de Patrimônio Cultural em SC são contempladas com recursos do FDD

Complexo da Antiga Estação Ferroviária de Marcílio Dias - Restaurante

Restauração de igrejas, implantação de bibliotecas, modernização de sistemas de combate a incêndio e a recuperação de diversos equipamentos culturais, como fortes e museus, são algumas das ações escolhidas para receber os recursos do Fundo de Defesa de Direitos Difusos (FDD), do Governo Federal, que prevê a execução de projetos de diferentes eixos temáticos, sendo um deles o Patrimônio Cultural Brasileiro. Até o momento, já foram aprovados 21 projetos coordenados pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), autarquia do Ministério da Cidadania, somando recursos de R$ 91,2 milhões em investimentos para oito estados brasileiros: Alagoas, Amazonas, Bahia, Maranhão, Pará, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul e Santa Catarina. Neste último, há nove projetos em andamento, com investimentos que ultrapassam os R$ 28 milhões no total.

Os recursos são provenientes de condenações judiciais, multas e indenizações repassadas ao FDD, coordenado pelo Ministério da Justiça, para a reparação de danos causados ao meio ambiente, ao consumidor, a bens e direitos de valor artístico, estético, histórico, turístico e paisagístico. Projetos de diversas áreas são, então, selecionados a partir de decisão do Conselho Federal Gestor do Fundo de Defesa de Direitos Difusos. Os recursos serão liberados em até três parcelas, previstas para 2019, 2020 e 2021, por meio de Termo de Execução Descentralizada (TED). 

Segundo a presidente do Iphan, Kátia Bogéa, o recurso é uma oportunidade maravilhosa para a instituição. “Esse é um orçamento a mais para o Patrimônio Cultural Brasileiro, que sempre foi tão apertado e aquém do que a instituição precisa para proteger esse patrimônio tão importante para a nação brasileira. Então, é um momento de muita alegria, pois conseguimos aprovar projetos que são exemplares e simbólicos”, celebra. O diretor do Departamento de Projetos Especiais do Iphan, Robson de Almeida, explica que essa aprovação é resultado de um trabalho de longo prazo feito pelo Iphan na elaboração de projetos executivos, e que agora viabilizou a proposição das ações ao FDD. Além dessas 21 já aprovadas, outras ações ainda estão em análise, podendo vir a ser contempladas pelo investimento do Governo Federal.

Ações Contempladas pelo FDD em Santa Catarina

Canoinhas (SC) Restauração do Complexo da Antiga Estação Ferroviária de Marcílio Dias R$2.389.883,89
Florianópolis (SC) Restauração e Adequação da Fortaleza de Santo Antônio de Ratones R$6.831.134,91
Florianópolis (SC) Restauração e Adequação da Fortaleza de São José da Ponta Grossa R$7.727.052,02
Florianópolis (SC) Restauração do Forte Santana do Estreito R$2.379.569,85
Joinville (SC) Restauração e Ampliação do Museu Nacional da Imigração R$2.637.372,86
Laguna (SC) Restauração do Complexo Ferroviário R$3.168.359,69
Laguna (SC) Restauração e Intervenção no Clube Congresso Lagunense R$1.344.233,07
Itaiópolis (SC) Restauração do Moinho Kollross R$530.464,54
Timbó (SC) Restauração da Antiga Escola Urbana de Timbó R$1.362.809,67
                          Valor total:  R$28.370.880,50 

 

Mais informações para a imprensa
Assessoria de Comunicação Iphan

comunicacao@iphan.gov.br
Taís Coutinho Arruda – tais.arruda@iphan.gov.br
(61) 2024-5535 / 5504 / 5516
www.iphan.gov.br
www.facebook.com/IphanGovBr | www.twitter.com/IphanGovBr
www.youtube.com/IphanGovBr

Compartilhar
Facebook Twitter Email Linkedin