Palestrantes

Seminário Internacional Gestão do Patrimônio Cultural do Norte

Laurajane Smith (Australian National University)
Diretora da Escola de Arqueologia e Antropologia e do Centro de Estudos em Patrimônio e Museu na Australian National University. Bolsista da Academy of the Social Science in Australia; fundadora da Association of Critical Heritage Studies; editora do International Journal of Heritage Studies e co-editora do Routledge Series Key Issues in Cultural Heritage. Ela também é autora e editora de quatorze livros, entre eles Uses of Heritage (2006) e Intangible Heritage (2009). Atualmente, ela está escrevendo uma monografia detalhando uma pesquisa sobre memória e identidade realizada com visitantes de museus e sítios reconhecidos como patrimônio. 


Isaac Williams Farias Loureiro (Representante dos grupos de Cultura Popular)
Paraense, pesquisador e ativista das culturas populares tradicionais amazônicas, educador popular, produtor cultural e consultor técnico na área de gestão cultural. Membro da Irmandade do Carimbó de S. Benedito de Santarém Novo (PA), produtor do grupo de carimbó Os Quentes da Madrugada. É integrante do Comitê Gestor da Salvaguarda do Carimbó e coordenador da Campanha Carimbó Patrimônio Cultural Brasileiro. Também foi membro titular do Colegiado Setorial de Culturas Populares e representante desse colegiado no Conselho Nacional de Política Cultural do Ministério da Cultura, entre 2010 e 2014. Atuou como coordenador regional na Rede Ação Griô Nacional (2009 a 2014) e na Rede Nacional das Culturas Populares (2006 a 2014).


Edithe da Silva Pereira (Museu Paraense Emílio Goeldi) 
Licenciada em História pela UFPA, mestre em História pela UFPE e doutora em Geografia e História pela Universidade de Valência (Espanha). Atualmente é pesquisadora titular do Museu Paraense Emílio Goeldi. Tem experiência na área de Arqueologia, com ênfase em Arqueologia Pré-Histórica, atuando principalmente nos seguintes temas: arte rupestre, pré-história da Amazônia, carta arqueológica e arqueoturismo.


Luciana Gonçalves de Carvalho (Universidade Federal do Oeste do Pará)
Doutora em Ciências Humanas-Antropologia (PPGSA/UFRJ), mestra em Sociologia (PPGSA/UFRJ), bacharel em Ciências Sociais (UFRJ), especialista em Tradução Francês-Português (UERJ). Professora na Universidade Federal do Oeste do Pará (Ufopa) desde 2010, atuando nos cursos de graduação em Antropologia, mestrado em Ciências da Sociedade e doutorado em Sociedade, Natureza e Desenvolvimento (Ciências Ambientais). Professora do Programa de Pós-Graduação em Sociologia e Antropologia da UFPA e pesquisadora do Grupo de Pesquisa Diversidade Cultural, Território e Novos Direitos na Amazônia. Coordena o Programa de Extensão Patrimônio Cultural na Amazônia (Proext//MEC) desde 2010, com atuação na região da Calha Norte. Atuou como pesquisadora e gestora de projetos de pesquisa no Centro Nacional de Folclore e Cultura Popular/Iphan. É autora de publicações sobre patrimônio cultural imaterial, cultura popular, memória, trabalho e conhecimentos tradicionais em comunidades amazônicas, bem como de relatórios e outros estudos antropológicos em processos de regularização fundiária, disputa territorial e conflito socioambiental.


Márcia Bezerra de Almeida (Universidade Federal do Pará)
Bacharel em Arqueologia (Faculdades Integradas Estácio de Sá/RJ), Mestre em História Antiga e Medieval (UFRJ) e Doutora em Arqueologia (USP). É professora associada de Arqueologia do Programa de Pós-Graduação em Antropologia/PPGA, da UFPA, e associada ao Departamento de Antropologia da Indiana University, nos Estados Unidos. É coordenadora adjunta da área de antropologia/arqueologia da CAPES (2018-2021). Foi Presidente (2013-2016), Vice-Presidente (2011-2013) e Secretária Geral (2005-2009) da Sociedade de Arqueologia Brasileira. Atuou como representante da América do Sul no World Archaeological Congress. É membro do corpo editorial das revistas Archaeologies/WAC/Springer e do International Journal of Cultural Property/Cambridge. Foi professora colaboradora de cursos na área de arqueologia em diversos estados brasileiros e professora visitante do Mestrado Profissional em Gestão do Patrimônio Cultural/PUC-Goiás. Atuou como consultora e/ou coordenadora de projetos de Educação Patrimonial. É membro efetivo da Associação Brasileira de Antropologia e da Association of Critical Heritage Studies. É líder do grupo de pesquisa Arqueologia no Contemporâneo, com K.Anne Pyburn/Indiana University e bolsista de Produtividade/CNPq.


Hugo Massaki Segawa (Universidade de São Paulo) 
Arquiteto, professor titular da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da USP. Autor, dentre outros livros, de Arquiteturas no Brasil 1900-1990 (2014), também publicado como Architecture in Brazil 1900-1990, pela Springer, New York (2013); Arquitectura Contemporánea Latinoamericana (Barcelona, Gustavo Gili, 2005); Ao Amor do Público: jardins no Brasil (São Paulo, Studio Nobel/Fapesp, 1996), entre outros livros. Foi professor convidado em universidades na Argentina, México, Panamá, Portugal, Espanha e Japão. Membro do Observatório de Arquitectura Contemporánea Latinoamericana e do Seminário de Arquitetura Moderna na Amazônia. Foi coordenador do DOCOMOMO Brasil (2002-2007) e membro do Advisory Board do DOCOMOMO Internacional (2004-2008). Premio America de Teoría y Crítica pelo conjunto de escritos e atividades de fomento e intercâmbio em pesquisa, concedido durante o 15º SAL - Seminario de Arquitectura Latinoamericana (Bogotá, 2013). 


Antônio Ponte (Regional de Cultura do Norte de Portugal)
Licenciado em Ciências Históricas, com Mestrado e Doutorado em Museologia, pela Faculdade de Letras da Universidade do Porto. É diretor regional de Cultura do Norte de Portugal desde dezembro de 2013. Professor adjunto da ESHT-IPP; professor afiliado da Faculdade de Letras da Universidade do Porto; e professor na ESE – Instituto Politécnico do Porto. Foi presidente da Fundação Côa Parque (2014-2017); coordenador do Museu de Vila do Conde (2012-2013); diretor do Paço dos Duques de Bragança (2009-2012). Formador e palestrante em diversos cursos e seminários nacionais e internacionais, nas áreas da museologia e patrimônio, incluindo o Seminário Internacional O Futuro do Patrimônio, realizado pelo Iphan em 2017.


Ana Paula Amendoeira (Regional de Cultura do Alentejo de Portugal)
Licenciada em História pela Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa, mestre em Recuperação do Patrimônio Arquitetônico e Paisagístico, pela Universidade de Évora. Possui diploma europeu em Gestão de Projetos Culturais (Conselho da Europa/Fundação Marcel HicterBruxelas/UNESCO) e é doutoranda na Universidade de Paris IV Sorbonne, onde realiza pesquisa sobre o Patrimônio Mundial. Foi presidente do ICOMOS Portugal em 2011 e é sua atual vice-presidente, além de membro efetivo de seu Comitê Científico Internacional, entre outras participações junto à instituição. Publicou e apresentou artigos em vários eventos e publicações em Portugal e no exterior. É autora do livro Monsaraz, Reconstruir a Memória. Foi uma das criadoras da REDE WHPO (World Heritage Portuguese Origin), que conta com a participação de especialistas de 26 países em quatro continentes com patrimônio de influência histórica e cultural portuguesa.


Ana Suelly Câmara Cabral (Universidade de Brasília)
Possui graduação em Letras pela Universidade Regional do Nordeste, graduação em Artes Plásticas pela Université de Paris I (Panthéon-Sorbonne), mestrado em Letras pela Université de Paris III-Sorbonne-Nouvelle, mestrado em Estética da Arte pela Université de Paris I, Panthéon-Sorbonne, doutorado em Linguística pela University of Pittsburgh, PA; realizou estágio pós-doutoral em Linguística Histórica na UnB. Foi pesquisadora na Fundação Nacional Pró-Memória (1983-1996), onde atuou como representante de projetos de educação indígena. Foi Coordenadora do Núcleo de Estudos sobre a Amazônia (NEAz) do Centro de Estudos Avançados Multidisciplinares (CEAM-UnB) e exerceu a função de vice-diretora do Instituto de Letras da mesma Universidade. Foi primeira secretária da Abralin (2001-2003) e coordenadora do Grupo de Trabalho de Línguas Indígenas da AnPOLL. É professora do Departamento de Linguística, Português e Línguas Clássicas do Instituto de Letras da UnB; coordena o Laboratório de Línguas e Literaturas Indígenas (LALLI) e dirige a Revista Brasileira de Linguística Antropológica. Tem experiência na área da Linguística, com ênfase em Línguas Indígenas, principalmente aos estudos de línguas do tronco linguístico Tupí, do tronco linguístico Macro-Jê, de línguas da família Aruák, e da língua Kokáma.


Marcos Antônio Gomes de Mattos de Albuquerque (Universidade Federal de Pernambuco)
Coordenador do Laboratório de Arqueologia do Departamento de História da UFPE. Dedica‐se à pesquisa arqueológica desde 1965, quando criou o Laboratório de Arqueologia da UFPE. Doutor em História com área de concentração em Arqueologia. Realizou estágios no Instituto de Alta Cultura de Portugal e na École Pratique des Hautes Études, Sorbonne, Paris. Professor e conferencista em diferentes instituições nacionais e internacionais. Desenvolveu na área da pesquisa a aplicação da radiologia no estudo da cerâmica arqueológica. Encontra‐se entre os pioneiros no Brasil no uso da termografia arqueológica. É consultor Ad Hoc de diversas instituições de pesquisa. Como um dos pioneiros no estudo arqueológico de fortificações e campos de batalha, recebeu do Exército brasileiro diversas comendas, além de diversas outras premiações e honrarias, como o título de Cientista do Ano, pelo Conselho Estadual de Cultura de Pernambuco, e a Medalha Mario de Andrade, pelo Iphan. É membro do Instituto Histórico de Jaboatão, do Instituto Histórico de Vitoria de Santo Antão, da Academia de Artes, Letras e Ciências de Olinda, da Academia de História Militar do Paraguai e da Academia de História Militar Terrestre do Brasil e do International Scientific Committee on Fortifications and Military Heritage.

 

Manuel Ferreira Lima Filho (Universidade Federal de Goiás)
Realizou estágio Pós-Doutoral Sênior em Antropologia no Museu Nacional (UFRJ), com bolsa da FAPERJ (2014/2015). Foi visiting scholar no Departamento de Antropologia da Washington University of Sain Louis (EUA), com bolsa da Fulbright-Capes. Realizou estágio Pós-Doutoral em Antropologia no The College of William and Mary (EUA). É doutor em Antropologia Social e Cultural pela UnB, quando foi bolsista na Harvard University e na University of Chicago. Cursou o Mestrado em Antropologia Social na UnB e especialização em Antropologia Social na UFG. Possui Graduação em Geologia pela UFPA. Foi visiting scholar da Smithsonian Institution (EUA) no National Museum of Natural History e na Rockfeller Library/Colonial Williamsburg Foundation (EUA). Foi coordenador do Mestrado Profissional em Gestão do Patrimônio Cultural e Professor Titular da PUC-GO/Instituto Goiano de Pré-História e Antropologia. Atualmente é professor Associado na Faculdade de Ciências Sociais da UFG e Pesquisador do CNPq. Conselheiro da ABA. É professor do programa de pós-graduação em Antropologia Social e do programa de pós-graduação em Sociologia da UFG. Professor colaborador do Programa de pós-graduação em Ciências da Religião da PUC-GO. Atua no NEAP (Núcleo de Estudos de Antropologia, Patrimônio, Memória e Expressões Museais), da UFG. Atualmente é diretor do Museu Antropológico da UFG. Tem experiência na área de Antropologia, com ênfase em Patrimônio Cultural, Memória Social, Cultura Material e Etnologia Indígena, atuando principalmente nos seguintes temas: patrimônio cultural, cidade, memória coletiva, identidade social e Karajá.


Juan Luís Isaza Lodoño (Fundación Ferrocarril de Antioquia - Colômbia) 
Arquiteto da Universidad Pontificia Bolivariana, em Medellín/Colômbia. Diretor da Fundación Ferrocarril de Antioquia. Possui formação em História da Arte Hispano-Americana e em Alta Administração Pública em Gestão Cultural na Universidad Complutense de Madrid/Espanha, e doutorado na Universidad Politécnica de Madrid/Espanha. Ocupou diversos cargos na área de patrimônio cultural na Colômbia, assim como cargos diretivos em algumas universidades privadas. Foi consultor de organismos internacionais como o ICOMOS, organização da qual também é membro; da Unesco; e do World Monuments Fund. Foi palestrante e professor convidado em várias universidades da América Latina e Caribe e da Europa. É membro de comitês e conselhos em diversas instituições culturais da Colômbia e do exterior. 

 

Alejandro Alcaraz Torres (Instituto Nacional de Antropologia e História do México)
Arquiteto da Universidad Autónoma Metropolitana da Cidade do México, pós-graduado em Conservação do Patrimônio Arquitetônico e Urbano pela Universidad Politécnica de Madri, na Espanha. Atualmente é diretor adjunto de Projetos da Diretoria do Patrimônio Mundial do Instituto Nacional de Antropologia e História do México. Participou de várias reuniões e workshops sobre Estados de Conservação e Planos de Manejo de sítios declarados Patrimônio Cultural da Humanidade, além de reuniões internacionais sobre Patrimônio Mundial e Centros Históricos organizados pela UNESCO, diversos governos e universidades. Colabora em diversas publicações sobre Patrimônio Cultural editadas pelo Instituto Nacional de Antropologia e História do México.


Luiz Fernando de Almeida (Instituto Pedra)
Arquiteto e urbanista formado pela Faculdade de Arquitetura da PUC Campinas. É Diretor Executivo do Instituto Pedra. Foi professor de história da arte, da arquitetura e de projeto em instituições como a FAAP, UNIP e FAU Santos. Foi fundador da revista Óculum e também diretor executivo do Museu de Arte do Rio. Foi coordenador nacional do Programa Monumenta, de recuperação dos sítios históricos brasileiros, e presidente do Iphan, atuando por quase 10 anos diretamente no desenvolvimento da política de patrimônio cultural no Brasil. É o curador da exposição A Construção do Patrimônio.

 

Compartilhar
Facebook Twitter Email Linkedin