Festa Literária de Paraty tem programação comemorativa de 80 anos do Iphan

Em Paraty, o tombamento da cidade e do município protege a paisagem e o conjunto arquitetônico do século XVIII.

Cidade histórica de beleza natural e cultural extraordinária, Paraty, no Rio de Janeiro, é palco de um dos mais importantes eventos literários do país: a Festa Internacional Literária de Paraty (Flip). Em sua 15ª edição, que ocorrerá entre os dias 26 e 30 de julho, o escritor carioca Lima Barreto será o homenageando. A Flip terá também uma programação promovida pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), celebrando os 80 anos da instituição.

Uma exposição com fotografias do técnico do Iphan Oscar Liberal, valoriza a relação do patrimônio edificado com a vida cotidiana e as celebrações locais, o público poderá contemplar, no Escritório Técnico do Iphan em Paraty, imagens da paisagem cultural da cidade, com seu casario, as festas religiosas e os seus moradores. Além da mostra fotográfica, será exibido o vídeo Memórias Afetivas de Paraty, produzido pela equipe de vídeo do Iphan, com depoimentos de moradores ressaltando da sua relação afetiva com o patrimônio cultural.

No dia 27 de julho, às 9h30, acontece, também no Escritório do Iphan, um debate sobre o patrimônio cultural e a sua sustentabilidade. Participam a presidente do Iphan, Kátia Bógea, o diretor do Departamento do Patrimônio Imaterial, Hermano Guanais e Queiroz, a superintendente do Iphan no Rio de Janeiro, Monica da Costa, e Fabricio Brollo, do BNDES.

Durante todo o período da Flip o Iphan disponibilizará diversas publicações em seu Escritório Técnico. São livros que tratam de bens culturais registrados, do patrimônio edificado e das políticas voltadas para o patrimônio cultural brasileiro.

Cidade Histórica
Vista de ParatyEm Paraty, diferentes tombamentos protegem e valorizam a cidade e o município: o conjunto arquitetônico e paisagístico da cidade foi tombado pelo Iphan, em 1958; o município de Paraty recebeu o título de Monumento Nacional, em 1966; e um novo tombamento incluiu o entorno do conjunto arquitetônico e paisagístico do município, em 1974. Neste conjunto, destacam-se seu valor excepcional, a extraordinária beleza natural, a originalidade da área do município, além da importância do papel histórico que Paraty representou como elemento de ligação entre as capitanias do Rio de Janeiro, São Paulo e Minas Gerais.

A arquitetura dominante na cidade é característica da segunda metade do século XVIII e primeiras décadas do século XIX. Paraty é formada por importante núcleo com construções do período colonial e está localizada à beira-mar. Seus logradouros formam uma trama quase ortogonal e as ruas paralelas à praia possuem um formato arqueado. As construções, alinhadas umas encostadas às outras, compõem massa edificada compacta que envolve, inteiramente, os quarteirões e lhes empresta monumentalidade, apesar das limitadas dimensões.

Paraty teve, nos primeiros séculos de sua história, uma importância estratégica no cenário histórico brasileiro: funcionou como entreposto comercial utilizado para a entrada de mercadorias e escravos, e porto para o escoamento do ouro vindo de Minas Gerais e, posteriormente, para o café do Vale do Paraíba (estados do Rio de Janeiro e São Paulo). 

Patrimônio Imaterial
A Festa do Divino Espírito Santo de Paraty é uma celebração profundamente enraizada no cotidiano dos moradores daquela cidade, um espaço de reiteração de sua identidade e determinante dos padrões de sociabilidade local. Constituída por vários rituais religiosos e expressões culturais, a Festa se realiza a cada ano, iniciando no Domingo de Páscoa, com o levantamento do mastro, e suas manifestações e rituais ocorrem ao longo da semana que antecede o Domingo de Pentecostes, principal dia da festa. A celebração propicia momentos importantes, símbolos de caridade e de colaboração entre a comunidade, como o almoço do Divino, a distribuição de carne abençoada e de doces.

A Festa do Divino Espírito Santo de Paraty foi registrada como Patrimônio Cultural Brasileiro em 2013 e inscrita no livro de Celebrações.

Programação do Iphan na FLIP
Exposição Fotográfica e vídeo
Data: 26 de julho a 31 de dezembro, de 9h à 12h e de 14h às 17h.
Debate: A integração do patrimônio material e imaterial e sua sustentabilidade
Data: 27 de julho, às 9h30.
Venda de publicações do Iphan durante todo o período da FLIP, entre 26 e 30 de julho.

Local: Escritório do Iphan em Paraty. Praça Monsenhor Hélio Pires, s/n.
Contato: (24) 3371. 2051 e 3371-2180

Mais informações para a imprensa
Assessoria de Comunicação Iphan

comunicacao@iphan.gov.br
Fernanda Pereira – fernanda.pereira@iphan.gov.br
Carmen Lustosa – carmen.costa@iphan.gov.br
(61) 2024-5516- 2024-5504 - 2024-5531
(61) 99381-7543
www.iphan.gov.br
www.facebook.com/IphanGovBr | www.twitter.com/IphanGovBr
www.youtube.com/IphanGovBr

Paraty (RJ)

  • RJ_Paraty
    Paraty (RJ)
  • RJ_Paraty
    Paraty (RJ)
  • RJ_Paraty
    Paraty (RJ)
  • RJ_Paraty
    Paraty (RJ)
  • RJ_Paraty
    Paraty (RJ)
  • RJ_Paraty
    Paraty (RJ)
  • RJ_Paraty
    Paraty (RJ)
  • RJ_Paraty
    Paraty (RJ)
  • RJ_Paraty
    Paraty (RJ)
  • RJ_Paraty
    Paraty (RJ)
  • RJ_Paraty
    Paraty (RJ)
  • RJ_Paraty
    Paraty (RJ)
  • RJ_Paraty
    Paraty (RJ)
  • RJ_Paraty
    Paraty (RJ)
  • RJ_Paraty
    Paraty (RJ)
Compartilhar
Facebook Twitter Email Linkedin