Conjuntos Urbanos Tombados (Cidades Históricas)

Mosaico Conjuntos Urbanos Tombados - Abertura

As cidades e os núcleos históricos representam as referências urbanas do Brasil. Nelas é possível vivenciar os processos de transformação do país, por meio da preservação de expressões próprias de cada período histórico. São lugares especiais de uma nação, constituem a base do Patrimônio Cultural Brasileiro  e sua preservação é de responsabilidade da União, dos estados e municípios, e da sociedade civil. 

Até janeiro de 2017, são 87 conjuntos urbanos protegidos, sendo  67 tombados, três tombamentos provisórios, 14 rerratificações, um tombamento emergencial, dois anexados (destes dois, um tombado e um tombamento provisório). Nestas áreas, o Iphan atua e investe recursos, tanto direta, na forma de obras de qualificação, quanto indiretamente por meio de parcerias com outras instituições municipais e estaduais, além do PAC Cidades Históricas  e dos Planos de Mobilidade e Acessibilidade Urbana.

As primeiras vilas e cidades começaram a se desenvolver ainda no período colonial. São Vicente, em São Paulo, foi a primeira vila, fundada em 1532. Salvador foi a primeira cidade e também a primeira capital, fundada em 1549 por Tomé de Souza, primeiro governador–geral do Brasil. A partir daí, deu-se o início do desenvolvimento de uma rede urbana que estruturou a ocupação e o desenvolvimento do país. Em sua maioria, essas vilas e cidades foram implantadas no litoral, tinham função portuária e serviam para escoamento dos produtos coloniais e entrada dos artigos provenientes de Portugal.

Em função de seu papel na história, os núcleos urbanos históricos atuavam como "cidades polo" em todas as regiões do país. Em sua maioria,  mostram a influência portuguesa e mantêm cenários urbanos ainda bem preser-vados, palcos de manifestações culturais tradicionais. Têm sua formação relacionada a processos  históricos como a exploração econômica com o cultivo de cana de açúcar, algodão, café ou fumo e da extração da borracha, além da mineração de ouro e diamantes no interior.

Muitas dessas cidades também foram marcadas pelas lutas para a expulsão de invasores e consolidação da ocupação portuguesa, expansão das fronteiras para além do Tratado de Tordesilhas, lutas separatistas regionais e pela independência nacional. As cidades históricas também ambientaram importantes personagens da história brasileira como Maurício de Nassau, Anita Garibaldi, Bento Gonçalves, Chica da Silva, Tiradentes, Aleijadinho, D. Pedro I e II, Barão de Mauá, Machado de Assis, entre tantos outros.

Nas últimas décadas, foram reconhecidos como Patrimônio Cultural Brasileiro conjuntos urbanos construídos em períodos mais recentes, testemunhos do processo de industrialização pelo qual o país passou a partir do final do séculoséculo XIX, a exemplo da Vila Ferroviária de Paranapiacaba - Santo André (SP), ou com linguagens arquitetônicas e urbanísticas características do século XX, a exemplo do conjunto arquitetônico e urbanístico art déco de Goiânia (GO), da Vila Serra do Navio (AP), e do conjunto urbanístico de Brasília (DF), símbolo internacional do Movimento Moderno, inscrito pela Unesco na Lista do Patrimônio Mundial

Lista dos Bens Tombados e Processos em Andamento - 1938 - 2016 reúne informações sobre a atuação do Iphan nos estados e, nas páginas seguintes, as cidades com seus os conjuntos, núcleos, centros e sítios históricos estão agrupadas por região do país, com as sínteses dos contextos históricos nos quais surgiram e se desenvolveram, além da descrição dos monumetos e espaços públicos tombados em cada localidade. 

 

 


 

Compartilhar
Facebook Twitter Email Linkedin