Exposição sobre carimbó será inaugurada no Centro Nacional de Folclore e Cultura Popular

Novo Zimba Tambores Patrimoniais - Still Santarém Novo e Seu Festival

Carimbó paraensePatrimônio Cultural do Brasil desde 2014, o Carimbó será tema de exposição que será inaugurada no Centro Nacional de Folclore e Cultura Popular do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (CNFCP-Iphan), às 17h, do próximo dia 25 de julho. Com o tema Pau, corda, cores e (re) invenções: instrumentos e artesanatos do Carimbó, a mostra traz referências sobre a forma de expressão que envolve múltiplas linguagens como a dança, a indumentária, o canto, o ritmo, a culinária e produção artesanal que fica disponível para visitação gratuita até o dia 08 de setembro na Sala do Artista Popular (SAP). 

Há mais de dois séculos o Carimbó mantém sua tradição em quase todas as regiões do Pará e tem se reinventado constantemente. Seus instrumentos, sua dança e música são resultados da fusão das influências culturais indígena, negra e ibérica; e a memória coletiva dos mestres e seus descendentes tem mantido vivo estes aspectos. Mestres instrumentistas do Carimbó relembram, num misto de nostalgia e entusiasmo, sobre um período considerado de outros tempos. “Antes era no pau e na corda; na viola e na lamparina. Não tinha microfone, não tinha nada”. Contam ainda que o Carimbó adentrava a noite ao som de instrumentos acústicos feitos em grande parte pelos próprios músicos, sendo um dom herdado e desenvolvido observando os familiares e as rodas que aconteciam em sua localidade.

CarimbóBanjos, curimbós, flautas, maracas, milheiros, reco-reco, além de saias e adereços, englobam uma produção de pequena escala, normalmente sob encomenda, que prioriza o reaproveitamento de materiais e a difusão de um considerado Carimbó tradicional. Não por acaso, afirma Mestre Ronaldo: “os mestres antigos faziam cultura, nós fazemos uma ação política e de cidadania a partir da cultura”.

No dia 26 de julho, às 16h, haverá ainda uma apresentação de Carimbó, que encerrará o Curso Livre de Folclore e Cultura Popular. Serão 11 mestres de diversos municípios paraenses: Dona Meire (Soure), Lucas (Belém), Manoel Alexandre, Acidenor (Ananindeua), Raimundo, Waldinei (Icoaraci), José Maria (Santa Bárbara), Marinho, Reginaldo (Marapanim), Agnaldo (Salvaterra) e Adan (Santarém). 

Sala do Artista Popular (SAP) 
A SAP foi criada em 1983 com o intuito de ser um espaço para difundir a arte popular, trazendo objetos que, por seu simbolismo, tecnologia de confecção ou matéria-prima empregada, revelam o modo de vida das camadas populares. Os artistas expõem seus trabalhos, estipulando livremente o preço e explicando as técnicas envolvidas na confecção. O valor obtido com as vendas vai integralmente para eles. 

O catálogo de cada exposição é desenvolvido a partir de pesquisa etnográfica e documentação fotográfica realizada pela equipe do CNFCP. Assim é possível conhecer as relações entre a produção artesanal e o contexto de vida dos artesãos. Desde sua criação já foram realizadas 198 exposições. 

Serviço: Exposição Pau, corda, cores e (re)invenções: instrumentos e artesanatos do Carimbó 
Inauguração:
25 de julho, às 17h  
Período: 25 de julho a 8 de setembro de 2019 
Dias e horários: 
Terça-feira a sexta-feira, das 11h às 18h 
Sábados, domingos e feriados, das 15 às 18h
Local: Sala do Artista Popular / CNFCP 

Apresentação de Coletivo de Mestres de Carimbó
Dia e horário:
26 de julho, às 16h
Local: em frente ao anexo do Museu de Folclore Edison Carneiro
Endereço: Rua do Catete, 179, Catete - Rio de Janeiro (RJ)
Mais informações para a imprensa
Assessoria de Comunicação Iphan

comunicacao@iphan.gov.br
Mécia Menescal – mecia.menescal@iphan.gov.br 
(61) 2024-5512- 2024-5513 - 2024-5531
(61) 99381-7543
Juliana Souza - juliana.souza@iphan.gov.br
(21) 3826-4322

www.iphan.gov.br
www.facebook.com/IphanGovBr | www.twitter.com/IphanGovBr
www.youtube.com/IphanGovBr

Compartilhar
Facebook Twitter Email Linkedin