Revista do Patrimônio vai abordar turismo e gestão patrimonial na região Sul do Brasil

Publicação mais antiga do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), a Revista do Patrimônio terá duas edições lançadas no dia 23 de outubro, durante a programação do Seminário Internacional sobre Potencial Econômico do Patrimônio em sua Dimensão Turística, em Porto Alegre (RS). Os números 39 e 40 da revista têm como tema, respectivamente, Gestão turística em sítios patrimoniais: boas práticas internacionais e, ainda, Dimensão turística no Brasil e região Sul: oportunidades e desafios para a gestão patrimonial. Organizada desde 1937, a Revista do Patrimônio foi criada com o objetivo de discutir os usos e significados do Patrimônio Cultural do Brasil.

Em 2019, cada número reúne artigos, fotografias, poemas, contos e material iconográfico mais amplo que pode ser dividido em duas partes. A primeira tem um perfil teórico, com discussões que se situam na interface entre turismo e gestão patrimonial; a segunda é composta por estudos de caso. Na 39ª edição, com 15 artigos, estão casos oriundos de países como México, Colômbia, Paraguai, França, Portugal e Espanha. Já a 40ª edição, com 16 artigos, condensa debates sobre bens tombados e registrados como Patrimônio Cultural na região Sul do Brasil. Ambas as edições foram organizadas pelo diretor do Departamento de Cooperação e Fomento (Decof) do Iphan, Marcelo Brito.

Os articulistas são especialistas em Patrimônio Cultural e gestores públicos de turismo, sendo que parte deles também é palestrante do Seminário Internacional. Além dos artigos, a Revista do Patrimônio é, historicamente, marcada pelo encontro entre acervo iconográfico e textos literários. A curadoria deste ano traz contos, poemas e trechos de romances que se relacionam com a paisagem turística do Sul do Brasil. Entre os autores, estão Oliveira Silveira, Ítalo Calvino, Salim Miguel, José Saramago e Helena Kolody, além de relatos de viajantes do século XIX, como os de Robert Avé-Lallemant. Este ano, resumos e notas biográficas também foram traduzidas para inglês e espanhol.

Com tiragem de três mil exemplares para cada edição, as publicações serão distribuídas durante o evento de lançamento e, também, ficarão disponíveis em suas versões digitais no site do Iphan. Além disso, números da revista serão enviadas às superintendências do Iphan nos estados e a instituições públicas da região Sul, que contribuíram com a pesquisa iconográfica, como os museus Joaquim Felizardo e Júlio de Castilhos, ambos no Rio Grande do Sul. Também contribuíram com as edições, dentre outras instituições, o Museu da Imagem e do Som do Paraná, o Museu Victor Meirelles (SC) e a Casa da Memória de Curitiba.

As revistas buscam traçar debates entre experiências internacionais e iniciativas desenvolvidas no Brasil. Na edição de número 39, por exemplo, a antropóloga Silvia Martínez assina o artigo O Patrimônio cultural imaterial como ativo para o turismo sustentável. No texto, a autora, que atualmente é responsável pela área de Cooperação Multilateral no Escritório de Cooperação Internacional do Ministério da Educação do Peru, aponta critérios de sustentabilidade, do ponto de vista econômico, ético e social, para que possa se estabelecer o diálogo intercultural e a cidadania de comunidades detentoras partindo da intersecção entre Patrimônio Cultural e turismo. Silvia Martínez também já foi diretora executiva do Centro Regional para a Salvaguarda do Patrimônio Imaterial da América Latina (Cespial).

Na edição de número 40, por sua vez, a prefeita de Pelotas (RS), Paula Mascarenhas, mestre e doutora em Letras, assina um artigo junto da produtora cultural independente e secretária de cultura do Rio Grande do Sul, Beatriz Araujo. No artigo Turismo de base comunitária: tradição doceira de Pelotas, são analisados aspectos histórico-culturais da tradição de doces produzidos em Pelotas, bem reconhecido como Patrimônio Cultural do Brasil. As autoras ainda traçam paralelos com a política de preservação do patrimônio material do município, com a restauração de casarões e prédios públicos durante a década de 1980.

Este ano, a Revista do Patrimônio está inserida na campanha Patrimônio Cultural do Sul: Turismo Cultural como ativo para o desenvolvimento das cidades históricas, cujo objetivo é discutir potencialidades e desafios da relação entre Patrimônio Cultural e turismo, com foco na região Sul do Brasil em suas múltiplas manifestações. As publicações também fazem parte da iniciativa do governo federal Patrimônio + Turismo, que desde o início do ano vem traçando políticas públicas visando a alinhar campos como turismo, cultura e desenvolvimento socioeconômico. A Revista do Patrimônio tem patrocínio da Vale.  

Serviço
Lançamento das edições de nº 39 e 40 da Revista do Patrimônio
Data:
 23 de outubro, às 20h30
Local: Assembleia Legislativa do Rio Grande do Sul
           Praça Marechal Deodoro, 101 – Centro Histórico, Porto Alegre (RS)

Mais informações para imprensa
Assessoria de Comunicação Iphan
comunicacao@iphan.gov.br
Moisés Sarraf – moises.sarraf@iphan.gov.br
(61) 2024-5526 / 2024-5511 / (91) 98165-4577
www.iphan.gov.br
www.facebook.com/IphanGovBr
www.twitter.com/IphanGovBr
www.youtube.com/IphanGovBr

 

Compartilhar
Facebook Twitter Email Linkedin