Divulgados os vencedores do Prêmio Luiz de Castro Faria 2019

Prêmio Luiz de Castro Faria - 7ª Edição 2019

O Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), por meio do Centro Nacional de Arqueologia (CNA), anuncia os cinco ganhadores da 7ª Edição do Prêmio Luiz de Castro Faria. Os trabalhos que concorreram em quatro categorias - Artigo Científico, Monografia de Graduação, Dissertação de Mestrado e Tese de Doutorado – serão contemplados com prêmios de R$ 7 mil, R$ 10 mil, R$ 15 mil e R$ 20 mil, respectivamente.

A premiação contou com a avaliação da Comissão Julgadora composta pelos arqueólogos Dr. Grégoire André Henri Marie Ghislain Van Havre, Drª. Mônica Almeida Araújo Nogueira, Drª Margareth de Lourdes Souza.

Os Vencedores
Na Categoria Artigo Científico, foram escolhidos os artigos: Onde estão as quadrículas? A decapagem mecânica e suas contribuições para o estudo de unidades domésticas no contexto da arqueologia preventiva, de autoria de Bruno de Souza Barreto, e Arqueologia dos Gestos na Indústria Lítica do Sítio Colônia Miranda – SE, de autoria de Janaína Patrícia Coutinho e coautoria de Paulo Jobim de Campos Mello.

Já na Categoria Graduação, a monografia escolhida foi: Os Lugares de Memória e a Carta Arqueológica do Município de Brejo Santo, Estado do Ceará, Brasil, de autoria de Daline Lima de Oliveira desenvolvida no âmbito da Graduação em Arqueologia da Universidade Federal do Vale do São Francisco, sob orientação do Profº Dr. Alencar Miranda Amaral e Co-orientação do Profº Dr. Valdeci dos Santos Júnior

A dissertação Arqueobotânica e Mudanças Socioeconômicas durante o Holoceno Médio no Sudoeste da Amazônia, de autoria de Laura Pereira Furquim, desenvolvida no âmbito do Mestrado em Arqueologia do Museu de Arqueologia e Etnologia da Universidade de São Paulo sob orientação do Profº Dr. Eduardo Góes Neves e Co-orientação da Profª Drª. Myrtle Pearl Shock, foi a selecionada da Categoria Mestrado.

A tese vencedora da Categoria Doutorado foi: Os Olhares sobre o Patrimônio Arqueológico de Itaipu (Niterói/RJ) e sua ressignificação como Paisagem Cultural, de autoria de Marcela Nogueira de Andrade, desenvolvida no âmbito do Doutorado em Arqueologia da Universidade Federal do Rio de Janeiro, sob orientação do Profª Drª. Maria Dulce Barcellos Gaspar de Oliveira.

A premiação
Desde 2013, o Centro Nacional de Arqueologia (CNA/Iphan) promove o Prêmio Luiz de Castro Faria, em reconhecimento à pesquisa acadêmica que verse sobre o patrimônio arqueológico brasileiro que, devido a sua originalidade, vulto ou caráter exemplar, mereçam registro, divulgação e reconhecimento público.

A data e local da cerimônia de entrega do prêmio serão anunciados em breve.

Luiz de Castro Faria
Nascido em Niterói (RJ) em julho de 1913, o antropólogo, arqueólogo, professor, biblioteconomista e museólogo Luiz de Castro Faria foi um dos fundadores da Associação Brasileira de Antropologia. Foi responsável pela formação de uma geração inteira de antropólogos brasileiros nas universidades federais do Rio de Janeiro e Fluminense -  UFRJ e UFF -, universidades onde recebeu o título de Professor Emérito.

Designado pelo governo brasileiro, foi responsável por participar, guiar e fiscalizar grandes expedições etnográficas do século XX. A última foi a Expedição à Serra do Norte, chefiada por Claude Lévi-Strauss, em 1938. Luiz de Castro Faria morreu aos 91 anos, no dia 12 de agosto de 2004.

Informações sobre a premiação:
Centro Nacional de Arqueologia (CNA/Iphan)
(61) 2024-6300 – premio.cna@iphan.gov.br
Quadra SEPS, 713/913 Bloco D - 3º andar Asa Sul Brasília – DF

Compartilhar
Facebook Twitter Email Linkedin