Publicações

  • O canto das garças me contou

    Autor: Aline Silva Lima e Patrícia Pereira Xavier (organização) Edição: 1a Páginas: 122

    O livro O Canto das Garças me Contou é parte dos esforços do IPHAN em divulgar o patrimônio cultural de um dos municípios cearenses, Acaraú, para os jovens e professores da rede pública. Nele há narrativas contadas pelos moradores locais, retratando muitas histórias e memórias coletadas em entrevistas e rodas de conversa, valorizando a cultura material e imaterial, do sertão ao litoral.

  • O canto das garças me contou: manual do professor

    Autor: Aline Silva Lima e Patrícia Pereira Xavier (organização) Edição: 1a Páginas: 42

    O livro O Canto das Garças me Contou é parte dos esforços do IPHAN em divulgar o patrimônio cultural de um dos municípios cearenses, Acaraú, para os jovens e professores da rede pública. Nele há narrativas contadas pelos moradores locais, retratando muitas histórias e memórias coletadas em entrevistas e rodas de conversa, valorizando a cultura material e imaterial, do sertão ao litoral. No manual do professor, há propostas de atividades para os educadores desenvolverem a interpretação dos textos de forma lúdica, valorizando o patrimônio cultural de ontem e hoje daquela região, ajudando na preservação desse patrimônio para futuras gerações.

  • Educação patrimonial no centro histórico de Laguna

    Autor: organização Ana Paula Cittadin, Carla Ferreira Cruz, Renata Lais Bogo Edição: 2020 Páginas: 28

    A educação patrimonial defendida pelo Iphan é realizada por meio de processos pedagógicos dialógicos, nos quais as referências culturais são utilizadas como temáticas geradoras para reflexão e ação rumo à preservação e salvaguarda do patrimônio cultural. Este livreto foi elaborado a fim de atender a demanda de professores de Laguna por material sobre as referências culturais da cidade, a qual possui Centro Histórico tombado em nível federal pelo Iphan. 

    Este é o primeiro livreto que elaboramos a fim de preencher essa lacuna, esperamos que ele seja útil e certamente aprimoraremos as próximas versões a partir do retorno sobre o seu uso em sala de aula. Desta forma, sugestões e comentários podem ser enviados para tecnica.sc@iphan.gov.br e escritório.laguna@iphan.gov.br.

  • Conjunto Histórico e Paisagístico de Antonina/PR

    Autor: organização Moisés Julierme Stival Soares e Lia Mity Ono Edição: 2018 Páginas: 20

    Todos somos responsáveis pelo Patrimônio Cultural de nossas comunidades e devemos cuidar para que ele seja preservado como herança para as futuras gerações. As ações podem ser simples, começando pela nossa própria casa, nossa rua, nosso bairro e cidade. Nesse sentido, o presente material compartilha os valores e qualidades a serem preservados no Conjunto Histórico e Paisagístico de Antonina pelo tombamento federal, bem como, orientar sobre o relacionamento respeitoso e os cuidados que devem existir entre os prédios do passado e a comunidade.

  • Caderno de Educação Patrimonial Centro Histórico de Paranaguá

    Autor: organização Lia Ono Edição: 1ª edição Páginas: 25

    Esta publicação tem por objetivo compartilhar com os moradores de Paranaguá e demais leitores algumas informações sobre o Conjunto Histórico de Paranaguá, tombado em 2009 pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional - lphan. Além do centro histórico, o Fandango Caiçara também foi registrado e reconhecido como Patrimônio Cultural Brasileiro, em 2012.

  • Ilha do Mel: Eu vou lá, eu

    Autor: Iphan PR Edição: 1ª edição Páginas: 34

    Este livro é resultado do projeto “Patrimônio nota 10!” – iniciativa de educação patrimonial promovida pela Superintendência do Iphan – PR. Em novembro de 2009, nas escolas das comunidades de Encantadas e Brasília, trabalhou-se noções de patrimônio cultural e a importância de conhecer, respeitar e saber contar a própria história.Esta obra feita a partir da visão de jovens e crianças é um convite para o leitor descobrir a história e a cultura da Ilha do Mel.

  • Catálogo - Exposição Preservar Igarassu

    Autor: textos de Romero de Oliveira e Silva Filho Edição: 2015 Páginas: 32

    Com a mostra “Preservar Igarassu”, a partir de uma perspectiva histórica, antropológica, arquitetônica e museológica, a Superintendência do Iphan em Pernambuco, por meio do seu Escritório Técnico em Igarassu, busca reafirmar o paradigma atual de participação coletiva nos temas relativos ao patrimônio cultural num dos mais significativos sítios históricos do país. Particularmente, o diálogo com o campo pedagógico tem lugar de destaque, no sentido de fortalecer as políticas de educação patrimonial e o trabalho dentro do espírito de Casa do Patrimônio.

  • Lutas por aproximação: educação patrimonial no contexto das fortificações de Santa Catarina

    Autor: organização Fernanda Biondo Edição: 2022 Páginas: 155

    A publicação "Lutas por aproximação: educação patrimonial no contexto das fortificações de Santa Catarina", organizada por Fernanda Biondo, faz referência aos processos educativos realizados em Santa Catarina, nos anos de 2019 e 2021, no âmbito da preparação de Candidatura do Conjunto de Fortificações do Brasil a Patrimônio Cultural da Humanidade. As ações educativas foram realizadas por servidores do Iphan Sede e do Iphan Santa Catarina, em conjunto com professores das secretarias municipais de educação de Governador Celso Ramos e Florianópolis. As secretarias de educação desses municípios, a Escola do Mar e a Coordenadoria das Fortalezas da Ilha de Santa Catarina (SecArt/UFSC) foram parceiras nesse trabalho.

    A oficina realizada em Governador Celso Ramos ocorreu em 2019, presencialmente, em uma semana de imersão, com rodas de conversas, palestras e atividades práticas que representaram dias de criação ativa e sensível. O distanciamento social que 2020 trouxe consigo e a consequente impossibilidade de realizar a oficina de Florianópolis presencialmente fizeram com que a equipe do Iphan, composta de servidores de Florianópolis e de Brasília, se reunisse e encampasse o desafio de construir novos caminhos, propondo uma oficina em formato virtual. Para tanto, o Iphan criou uma metodologia específica, na qual o agir e o refletir sobre a ação o levaram a recalcular a rota com maestria. A cada novo encontro semanal com os professores da rede municipal de ensino de Florianópolis, a equipe do Iphan se reunia para avaliar e detalhar o planejamento do encontro seguinte, além de fazer os ajustes necessários.

    Fica aqui o convite para que mergulhem conosco nesse mar de possibilidades que as adversidades fizeram emergir.

  • Educação patrimonial, diversidade e meio ambiente no Distrito Federal

    Autor: organização Vinicius Prado Januzzi... [et al.] Edição: 2022 Páginas: 251

    O Curso EAD Educação Patrimonial, Diversidade e Meio Ambiente no Distrito Federal é uma iniciativa conjunta da Secretaria de Estado de Educação do DF e da Superintendência do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional do DF (Iphan-DF). Em março de 2020, os órgãos assinaram o Termo de Cooperação nº 001, pelo qual se comprometem a desenvolver, em conjunto, ações e materiais de educação patrimonial, que contemplem as múltiplas dimensões do patrimônio cultural e suas relações com o território distrital.

    Se o processo de aprendizagem é, por essência, coletivo, a construção do curso teria de necessariamente partir de mais de uma pessoa, uma instituição, um órgão. Cada um dos módulos foi escrito por especialistas em suas áreas de atuação, com o envolvimento de muitas instituições da cultura e da educação: a Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Distrito Federal (SECEC-DF), o Instituto Brasileiro de Museus (Ibram), a Universidade de Brasília (UnB), o Núcleo de Educação Patrimonial do Iphan, além de professores e professoras pertencentes ao quadros da Secretaria, responsáveis pelas mais diversas disciplinas no cotidiano de seu trabalho.

  • Memórias do meu lugar : patrimônio cultural e território em Roraima

    Autor: organização Amarildo Ferreira Júnior ; Larissa Maria de Almeida Guimarães e Mariana Lima da Silva Edição: 2022 Páginas: 182

    Esta obra resulta do trabalho coletivo desenvolvido por servidores, ex-servidores e estudantes que representam todas as unidades do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Roraima (IFRR) e servidoras da Superintendência no Estado de Roraima do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), que, reunidos por meio de grupo de pesquisa multicampi e multidisciplinar, a planejaram, executaram e elaboraram com o objetivo de socializar com o público reflexões e experiências resultantes da intersecção entre a Educação Profissional, Científica e Tecnológica e a Educação Patrimonial, campos cujo encontro e diálogo tal qual apresentamos é pouquíssimo frequente no Brasil.

    A obra realiza a sistematização de experiências vividas no decorrer da execução desse projeto sem, contudo, exaurir o debate que propõe, seja em seus termos internos, seja em suas vinculações externas. Para estas, a incompletude resulta da própria incipiência no estabelecimento de relações entre os dois campos educacionais aqui colocados em diálogo e, consequentemente, da análise das relações entre o espaço social e o espaço físico que conformam os lugares estudados por meio dessa convergência.

Registros encontrados: 61

Compartilhar
Facebook Twitter Email Linkedin