Publicações

  • Educação Patrimonial: histórico, conceitos e processos

    Autor: Sônia Rampim Florêncio, Pedro Clerot, Juliana Bezerra e Rodrigo Ramassote Edição: 2012 Páginas: 63

    Publicação: Iphan

    Esta publicação é resultado de um percurso amplo de debates, pesquisas teóricas e avaliações das práticas e ações educativas. Dividida em três partes, descreve a trajetória histórica dessas ações dentro do Iphan, os fundamentos conceituais que amparam as atuais políticas da área e apresenta os três macroprocessos institucionais desenvolvidos pela Coordenação de Educação Patrimonial, do Iphan. Nos últimos anos, multiplicaram-se iniciativas educacionais voltadas à preservação patrimonial, e uma grande variedade de ações e projetos com concepções, métodos, práticas e objetivos pedagógicos distintos foi realizada em todo o País. 

  • Remando por Campos e Florestas: Memórias & Paisagens dos Marajós (Livro para o Ensino Fundamental - 5ª a 8ª Séries)

    Autor: Denise Pahl Schaan, Agenor Sarraf Pacheco e Jane Felipe Beltrão Edição: 2011 Páginas: 172

    Publicação: Iphan 

    Apresenta de forma didática, a Geografia, Historia e Cultura do Arquipélago do Marajó, no Estado do Pará, além de histórias do folclore local, narrativas dos residentes e modo de vida no local. Destaca a dimensão do trabalho de construção e do alcance de produzir material didático-pedagógico para o ensino transversal de conteúdos de História, Arqueologia e patrimônio cultural no arquipélago, lugar que é o orgulho maior dos paraenses. O trabalho foi elaborado a partir de muitos encontros e realização de oficinas de diálogo e experiências, fotos retiradas dos baús da memória, além de horas a fio de discussão e revisão. 

  • N.6 - Cartografias femininas na cidade de Jaguarão: uma experiência de Educação Patrimonial

    Autor: Hilda Jaqueline de Fraga e Jesianne Pereira Delfino Edição: 2015 Páginas: 30

    O Projeto de Extensão Circuitos Patrimoniais sobre os bens culturais de Jaguarão (RS), desenvolvido pelos alunos dos cursos de História, Pedagogia e Turismo, da Universidade Federal do Pampa (Unipampa), durante a disciplina de Educação Patrimonial. Destaca-se uma abordagem que enfatiza as histórias e o cotidiano visível/invisível das mulheres, no final do século XIX e início do século XX, em uma cidade reconhecida pelo Iphan, como patrimônio cultural. O trabalho inclui as cartografias do circuito que se ateve às histórias e práticas cotidianas, em diferentes espaços e contribui para estudos, análises e leituras interdisciplinares sobre patrimônio.

     

  • Patrimônio e Leitura: Catálogo Temático de Literatura Infantojuvenil - 4

    Autor: Maria Beatriz Rezende Edição: 2014 Páginas: 110

    Publicação: Iphan

    Esta edição incorpora e amplia o levantamento de títulos selecionados pelos Catálogos Comentados de Literatura Infantojuvenil 1, 2 e 3, consolidando a proposta de criar instrumentos de referência de cunho educativo sobre o patrimônio cultural que se apoiam na produção literária dirigida a jovens e crianças. Organizado em quatro capítulos, “Bens culturais”, “Saberes e fazeres”, “Diversidade cultural” e “Preservação”, apresenta textos informativos relacionando os livros de literatura a temas tais como memória, identidade, história, modos de fazer e criar, saberes tradicionais, patrimônio edificado, patrimônio móvel e integrado, paisagens culturais, entre outros.  

  • A Ação Educativa no Centro Nacional de Folclore e Cultura Popular

    Autor: Lucilla Silva Telles Edição: 1a. Páginas: 8

     

     

     

  • Consequências funestas da cruel guerra contra Bonaparte e outros inventos da paixão

    Autor: Andrey Rosenthal Schlee Edição: 2016 Páginas: 16

    Auguste Henri Victor Grandjean de Montigny (1776-1850), antes de ser estudado como o arquiteto da “Colônia de Lebreton”, da “caravana francesa” ou da Missão Francesa de 1816, deve ser compreendido como um significativo exemplo de homem de seu tempo e, como tantos outros, testemunha ocular ou partícipe de alguns dos mais importantes momentos de consolidação do mundo contemporâneo. As transformações estruturais pelas quais passava a Europa no século XVIII – a primeira fase da Revolução Industrial (1750 a 1850) ou a Revolução Francesa (1789 a 1799), por exemplo – tiveram repercussão direta na vida do arquiteto.  

     

  • Sítio Arqueológico Cais do Valongo - proposta de inscrição na Lista do Patrimônio Mundial

    Autor: Iphan/ Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro Edição: 2016 Páginas: 259

    Publicação: Iphan

    Este documento contém a proposta de inscrição do Sítio Arqueológico Cais do Valongo na Lista do Patrimônio Mundial, encaminhada pelo Iphan e Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro a UNESCO. O Cais do Valongo, situado na região portuária, zona central do Rio de Janeiro, foi um antigo cais de pedra construído no século XIX. Além do cais, durante mais de 50 anos, funcionou nessa área o mercado de escravos da cidade, onde estavam os depósitos e armazéns de escravos, o Cemitério dos Pretos Novos - que recebia os corpos daqueles que não resistiam às duras condições da travessia atlântica -, e o Lazareto da Gamboa, destinado à quarentena dos escravos doentes recém-chegados.

     

  • Vol. 8 - Patrimônio e Políticas Públicas: Anais da V Oficina de Pesquisa

    Autor: Iphan/Copedoc/DAF Edição: 2016 Páginas: 181

    A quinta edição das Oficinas de Pesquisa do Iphan, ocorrida no Palácio Gustavo Capanema, no Rio de Janeiro, entre os dias 21 e 25 de novembro de 2011, teve como tema as políticas públicas no campo da cultura e, em especial, do patrimônio. O encontro reuniu servidores de 17 unidades do Iphan de 13 diferentes áreas de formação. Contou também com pesquisadores e gestores de universidades e outras instituições públicas, juntamente com a participação da direção do Iphan e seus representantes oficiais.

  • Vol. 7 - Trajetórias do Prêmio Rodrigo Melo Franco de Andrade (1987-2008)

    Autor: Maria Tarcila Ferreira Guedes Edição: 2015 Páginas: 151

    O artigo e as entrevistas que se seguem foram realizadas dentro das atividades do projeto “Prêmio Rodrigo Melo Franco de Andrade”, integrante de uma das linhas de pesquisa desenvolvidas pela Coordenação-Geral de Documentação e Pesquisa, Departamento de Articulação e Fomento (Copedoc/DAF), sob a coordenação de Lia Motta, sendo o projeto realizado pela historiadora Maria Tarcila Ferreira Guedes, técnica do Iphan, com a colaboração de Alexandre Ferreira Guedes Olender, Bete Peixoto, Bettina Zellner Grieco, Graça Mendes, Kleber de Souza Mateus, Maria Beatriz Setubal de Rezende Silva e Tatiana Lopes Salciotto, entre outros. A fotografia ficou a cargo, principalmente, do técnico Oscar Liberal, que contribuiu para o trabalho ao registrar as imagens das ações que fizeram parte deste concurso. Utilizamos também várias fotos pertencentes aos dossiês encaminhados pelos representantes das ações concorrentes às superintendências e à sede do Iphan.

  • Revista do Patrimônio no. 36

    Autor: Iphan Edição: 2017 Páginas: 201

     

     

Registros encontrados: 389

Compartilhar
Facebook Twitter Email Linkedin